Sistema de Acolhimento com “Classificação de Risco ” é implantado em Prontos Socorros


No inicio desse mês foi implantado o sistema de Acolhimento com Classificação de Risco para atendimento nos PSs (Prontos Socorros) “Dr. Edison Mano”, na área central, e “Dr. Afonso Ramos”, na Zona Leste.

A iniciativa visa otimizar o atendimento na Rede de Urgência e Emergência, por meio de um processo dinâmico, de identificação dos pacientes que necessitam de tratamento imediato, de acordo com o potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento.

Segundo o secretário de Saúde, Dreison Iatarola, a implantação da classificação de risco nos Prontos Socorros Municipais é algo há muito tempo desejado. “É o resultado de um governo comprometido com o desenvolvimento da saúde em nossa cidade. Com certeza é uma grande conquista para a população barbarense. Com este novo sistema, os pacientes serão avaliados por um enfermeiro treinado e então será feita a classificação por cores, a depender da gravidade de cada caso. Com isto, poderemos oferecer um atendimento ainda mais acolhedor e eficiente para todos os pacientes que procuram o Pronto Socorro “Edison Mano” e “Afonso Ramos”. Particularmente, sinto-me muito feliz em fazer parte da administração do prefeito Denis Andia e poder participar de mais este momento vitorioso para a saúde de Santa Bárbara d’Oeste”, comentou.

O Sistema de Acolhimento com Classificação de Risco consiste na identificação por cores, onde cada paciente é classificado dependendo da gravidade do caso, definida pelo enfermeiro. O objetivo é priorizar os casos mais graves, dando maior segurança e melhor acolhimento aos pacientes. O atendimento é dividido em três etapas, sendo a primeira o cadastro, realizada pelo profissional da recepção, a segunda a classificação, com o profissional de enfermagem, e a terceira o atendimento com o médico.

O paciente é identificado por uma cor, de acordo com a prioridade para o atendimento. Para os casos de “emergência”, quando necessita de atendimento imediato, é adotada a cor vermelha. Nos casos de “muita urgência”, onde há necessidade de atendimento praticamente imediato, a cor é laranja. Casos “urgentes”, nos quais o paciente necessita de atendimento rápido, mas pode aguardar, a cor é o amarelo. Nos casos considerados “pouco urgentes” e “não urgentes”, onde o paciente pode aguardar atendimento ou pode ser encaminhado para atendimento em uma UBS (Unidade Básica de Saúde), as cores são o verde e o azul, respectivamente.

Esse método já é amplamente utilizado em vários países do mundo. A implantação no município foi viabilizada após a realização de cursos de capacitação da equipe de profissionais que atuam na rede e adequação dos fluxos de atendimento. Para melhor orientação dos munícipes, foram confeccionados banners de identificação para os dois Prontos Socorros, com detalhamento de todo o processo de acolhimento.

No segundo quadrimestre de 2015, os dois PSs registraram 563.208 procedimentos. Deste total, foram realizados 438.756 procedimentos de enfermagem, 98.081 consultas médicas, 23.882 exames e 2.489 atendimentos do serviço social, em ambas as unidades. Os dados foram apresentados durante a última Audiência Pública do setor, realizada na Câmara Municipal, em setembro.

Assessoria de Imprensa

Comentários

Notícias relacionadas