Piracicaba 

Saúde de Piracicaba assina contratos para atendimentos SUS no valor de R$ 115 milhões

Valor é referente a 2019; Santa Casa receberá R$ 64,5 milhões e HFC, R$ 50,5 milhões

 

A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, assinou dois novos contratos de prestação de serviços em hospitais no valor total de R$ 115 milhões para 2019. A pactuação envolve a Santa Casa, que receberá R$ 64,5 milhões e o HFC (Hospital dos Fornecedores de Cana), onde os investimentos serão da ordem de R$ 50,5 milhões. Os contratos foram assinados pelo prefeito Barjas Negri, o secretário municipal de Saúde, Pedro Mello, os provedores da Santa Casa, João Orlando Pavão, e do Hospital dos Fornecedores de Cana, José Coral.

Em ambos complexos hospitalares, os recursos serão destinados a realização de procedimentos médicos de média e alta complexidades, internações, exames e ações estratégicas para garantia dos serviços. Os novos contratos, que entram em vigor já em janeiro, terão 12 meses de duração e vão garantir a continuidade de atendimento aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) pelos hospitais.

Segundo o prefeito Barjas Negri a assinatura dos contratos é importante por garantir que a Prefeitura possa continuar a atender bem a população que necessita do SUS. Já para o secretário de Saúde, Pedro Mello, a parceria demonstra o compromisso dos hospitais conveniados com o município com a qualidade dos serviços oferecidas aos usuários SUS. “Mais uma vez a prefeitura renova o contrato com a Santa Casa e o HFC que são unidades de referência por seus elevados padrões de qualidade técnica e tecnológica, o que, consequentemente, eleva o padrão de atendimento SUS em nossa cidade”, afirmou Mello.

PROCEDIMENTOS – Entre os dois hospitais, em números de procedimentos na média complexidade ambulatorial, as principais contratações são: consultas gerais (6.800/mês); exames laboratoriais (7.247/mês); mamografias (855 /mês); ultrassonografias (227/mês); ecocardiogramas (280/mês), entre outros.

Serão ainda 1.673 internações de média e alta complexidades por mês, divididas em clínica cirúrgica, clínica médica, obstetrícia e pediátrica. A chamada alta complexidade ambulatorial envolve os serviços de radioterapia (7.166/mês); quimioterapia (1.064/mês); ressonância (280/mês); tomografia (550/mês); além de outros. No Faec (Fundo de Ações Estratégicas e Compensação) estão inclusos os procedimentos de hemodiálise (3.008/mês); acompanhamento de cirurgias bariátricas (436/mês) e cirurgia do aparelho digestivo (49/mês).

 

 

Comentários

Leia também...