Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Variedades

Os cineastas brasileiros que mais têm feito sucesso ao redor do mundo

Representantes nacionais que consagraram obras brasileiras da sétima arte lá fora

 

Vivemos um momento histórico de isolamento social. Se não podemos ir para as ruas encontrar com os amigos, um dos maiores prazeres está em sentar e assistir a filmes e séries nas plataformas de streaming, televisão ou mesmo no computador.

 

Os apaixonados por Cinema podem estar sentindo falta da telona e da experiência de uma pré-estreia muito aguardada. Enquanto não chega a hora de voltar a apreciar a sétima arte em uma sala compartilhada, é possível preparar a pipoca e aproveitar, sem sair de casa, o que o Cinema brasileiro tem de melhor.

 

Há quem despreze a produção nacional, mas a verdade é que temos cineastas extremamente talentosos e reconhecidos lá fora. Confira quem são os brasileiros que mais fizeram sucesso no exterior e que mostraram que o Brasil tem potencial para fazer bons filmes.

Fernando Meirelles

Um dos cineastas mais bem-sucedidos fora do Brasil, o paulista Fernando Meirelles conquistou seu espaço em Hollywood.

 

Em 2002, ele foi indicado ao Oscar de Melhor Diretor quando lançou Cidade de Deus. De lá para cá, dirigiu outros blockbusters, como O Jardineiro Fiel, Ensaio sobre a Cegueira e 360.

 

No ano passado, Meirelles assinou a direção de Dois Papas, filme feito para o Netflix, que também recebeu indicações a diversos prêmios, incluindo o Oscar, o Globo de Ouro, o BAFTA e outros.

José Padilha

O diretor carioca ficou conhecido ao redor do mundo por Tropa de Elite. O sucesso da película lhe rendeu convites para dirigir outras produções, como RoboCop, de 2014, e 7 dias em Entebbe, de 2018.

Carlos Saldanha

Quando se trata de animações, o nome de Saldanha logo vem à cabeça. Indicado ao Oscar duas vezes, o brasileiro codirigiu A Era do Gelo e Robôs, além de dirigir o curta Aventura Perdida de Scrat. Sua carreira decolou e, após esses, dirigiu A Era do Gelo 2: O Degelo e A Era do Gelo 3: Despertar dos Dinossauros, além de Rio, sua sequência e O Touro Ferdinando.

Bruno Barreto

Em 1997, o cineasta recebeu indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por O Que é Isso, Companheiro?. Ele também dirigiu outras produções que ficaram famosas no exterior, como Assassinato Sob Duas Bandeiras, Atos de Amor, Entre o Dever e a Amizade e Voando Alto.

Walter Salles

Em 1998, o mundo se emocionou com a trama de Central do Brasil, filme indicado a diversos prêmios e que rendeu à Fernanda Montenegro a indicação ao Oscar de Melhor Atriz, levando todo o país a assistir à transmissão do maior prêmio do cinema norte-americano ao vivo, na torcida pela estatueta.

 

Anos mais tarde, Waltinho, como também é conhecido, dirigiu Diários de Motocicleta, que conta a história da amizade de Che Guevara e Alberto Granado e a viagem que realizaram entre Brasil e Peru sob duas rodas.

Para ficar de olho

Há cineastas brasileiros que estão começando a despontar no cenário internacional e podem se tornar nomes proeminentes no futuro. É o caso de Kleber Mendonça Filho, diretor de Aquarius, de 2016. O filme recebeu diversos prêmios internacionais e foi bastante elogiado pelos críticos nos festivais de Cinema. Aguarde para vê-lo brilhar em produções internacionais, em breve.

Onde estudar Cinema no Brasil

Não temos o histórico das superproduções hollywoodianas, mas já contamos com boas faculdades de Cinema em território nacional. De acordo com o portal Guia do Estudante, algumas das instituições que oferecem o curso de Cinema e Audiovisual são:

 

  • Universidade de Brasília (UnB);
  • Universidade Federal Fluminense (UFF);
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio);
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp);
  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCar);
  • Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP),
  • Universidade de São Paulo (USP).