Nova Odessa: Arrastão em chácaras recolhe dois caminhões de possíveis criadouros do mosquito da dengue

A equipe da Vigilância em Saúde da Prefeitura de Nova Odessa retirou dois caminhões com possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da Chikungunya, durante arrastão realizado neste sábado, 28 de fevereiro, nas chácaras Acapulco, Recreio e Las Palmas. A ação fez parte de projeto da Vigilância, através da Secretaria de Saúde, de combate às doenças com orientação, retirada de entulhos que possam servir de criadouros e bloqueios químicos em diversas regiões da cidade.

Diretor de Vigilância em Saúde, Manuel Messias de Oliveira afirmou que as equipes visitaram 357 chácaras, retirando 24 metros cúbicos de possíveis criadouros. “Por se tratar de bairros formados por chácaras, em que as pessoas geralmente moram fora, consideramos que o número de material retirado foi alto”, disse. Ele lembrou que a ação continua em outros bairros e que é importante a conscientização da população para não deixar entulhos e outros materiais jogados.

Além do arrastão, no sábado uma equipe da Vigilância em Saúde realizou bloqueio químico em casas dos bairros Santa Rosa e São Manoel. “Nossa meta foi atingida, o que nos deixa muito satisfeitos”, afirmou.

Desde o início dos mutirões contra o Aedes aegypti já foram recolhidos 270m³ de possíveis criadouros do mosquito e visitados 19.557 imóveis. De 1º de janeiro a 02 de março de 2015 foram registrados 16 casos positivos de dengue, com 211 notificações.

 

CONTINUIDADE – Os arrastões contra o mosquito Aedes aegypti continuam sábado (07/03), a partir das 8h, nos bairros Bosque dos Eucaliptos, Campo Belo, Ceci, Guarapari e Chácara Central. No dia 14 de março, a equipe estará no Vale dos Lírios, Pinheiros e Recanto Solar.

A população pode contribuir mantendo fechadas caixas d’água e outros recipientes para armazenamento de água e utilizando adequadamente vasilhames, garrafas, pratos de vasos de plantas, latas, pneus velhos e bromélias – que podem armazenar água limpa e parada -, evitando assim que as fêmeas do mosquito depositem os ovos que se transformam nas larvas do mosquito transmissor.

 

Comentários

Notícias relacionadas