fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

24horas Americana

Município de Americana (SP) ganha unidade do Colégio Brasil Canadá

Durante muito tempo, dominar uma segunda língua era uma habilidade desejável para determinados níveis profissionais, mas pouco usada no dia a dia dos brasileiros como uma forma de comunicação intensa. Com a internet e a globalização dos mercados, dominar e até mesmo ser fluente no Inglês tornou-se item obrigatório e a Educação Bilíngue surge no mercado de Franquias como uma tendência para o melhor preparo de crianças e jovens.

 

A crise provocada pela pandemia parece não ter afetado negativamente o mercado brasileiro das franquias de educação privada. A rede Brasil Canadá, sistema de franquias de educação bilíngue, está em franca expansão no ano de 2020 e celebra este mês uma nova parceria, desta vez na cidade de Americana, interior de São Paulo. A primeira unidade da escola na cidade irá atender inicialmente alunos de educação infantil com progressão ano a ano até o ensino fundamental. A previsão é que a unidade comece já suas atividades no ano letivo de 2021.

 

Localizada no interior de São Paulo, a cidade de Americana é o terceiro município mais populoso da Região Metropolitana de Campinas, com 210 mil moradores. O valor do último Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da educação registrado (2009) era de 0,928 (classificado como muito elevado), enquanto o do Brasil é 0,849. Por conta disso, o interesse por franquias de ensino consagradas, por parte dos empresários da região, vem crescendo progressivamente.

 

“A franqueada já é do setor da educação e percebeu que levar esse modelo de ensino para a cidade será um grande diferencial”, conta Mariana Marin, gerente nacional de expansão da rede Brasil Canadá. “Essa cliente vem avaliando o mercado de educação bilíngue desde 2018 e decidiu que agora é o momento para iniciar a operação”.

 

A Brasil Canadá continua crescendo, mesmo na pandemia. Neste ano, a rede conquistou mais três unidades, uma no bairro de Moema em São Paulo, que será inaugurada na segunda quinzena de novembro para prospecção de novas matrículas e deve começar sua operação em 2021, uma no Rio de Janeiro, com previsão de abertura para 2021 e outra em Natal (RN), que deve iniciar as atividades em 2022. A prospecção continua em diversas localidades do país e as negociações estão avançadas nas cidades mineiras de Contagem, Uberlândia e Barbacena e também na capital paraibana, João Pessoa. A previsão é comercializar até o final do ano ao menos essas quatro unidades, totalizando 07 franquias negociadas em meio à pandemia.

 

Os negócios da rede abrangem desde a educação infantil até o nono ano do ensino fundamental. Ao assinar a franquia, é oferecido todo o suporte ao novo investidor que deseja abrir uma escola do zero. O valor do investimento para ter uma franquia do Colégio Brasil Canadá é de R$ 1,2 milhão a R$ 2 milhões de reais.

 

“Possuímos um background de 20 anos de atuação no mercado e oferecemos aos parceiros toda a assessoria e apoio pedagógico para a implantação real de ensino bilíngue”, explica Beto Silveira, empresário e fundador da Brasil Canadá. “É um excelente negócio para se investir, principalmente agora, na pandemia, em que é possível enxergar a dependência dos pais com relação à educação infantil. É o ciclo onde as crianças mais absorvem a aprendizagem. Os investidores nos procuram por esse perfil, por ser um modelo pronto e seguro com uma experiência de 20 anos”.

 

A inauguração da unidade de Americana em março de 2021 só depende agora da conclusão do projeto de remodelação do imóvel que irá abrigar a nova escola, que ficará na Rua México, no bairro do Cechino. Bairro nobre da cidade, arborizado e tranquilo e que conta com padarias, confeitarias, lanchonetes e restaurantes. Além de ser próximo ao centro e às principais avenidas da cidade.

 

Amor pela Educação

Educadora e formada em Letras, com habilitação em Inglês, Vanessa Montanaro é a empresária que adquiriu a franquia da escola Brasil Canadá para a cidade de Americana. Seu interesse em investir em franquias na área da Educação surgiu há dois anos, quando começou a estudar o mercado e as didáticas e planos de ensino das instituições em processo de franqueamento. Porém, nenhuma das que estudou contemplava o que buscava em uma escola.

“Sou da área da Educação, estou concluindo uma pós-graduação em Neuroeducação, é uma área que eu amo. É minha paixão. Além disso, sou empreendedora, já possuo uma escola de educação infantil em Americana. Sem contar que meu marido, que está junto comigo nesse negócio, é da área educacional. Formado em Física, Matemática, Pedagogia, foi professor, coordenador e diretor de escolas estaduais. A Educação é a nossa paixão, o nosso propósito de vida. Por isso que buscamos fechar contrato com uma franquia nessa área”.

Vanessa nunca trabalhou antes com educação bilíngue. Mas ela acredita que, quando uma marca se expande e se desdobra em franquias, é porque ela já tem uma história, um passado de realizações e conquistas que a torna diferenciada em relação às demais. “Acredito que a franquia, no nosso caso, trouxe a possibilidade de incrementar com qualidade garantida a questão do bilinguismo na grade curricular. Acredito que tenhamos que trazer coisas de qualidade à população de Americana, para honrar tudo o que estudamos, honrar esse amor que temos pela Educação”.

E é por isso que as expectativas de Vanessa são as melhores possíveis, apesar da crise. Ela tem consciência de que estamos em um ano atípico, principalmente para a educação infantil, que foi um dos setores mais atingidos pela pandemia. “Mas eu acredito demais no potencial da marca. Pela qualidade educacional, pela inovação na questão do bilinguismo, por apresentar um ensino de excelência. O bilinguismo não é uma necessidade apenas do povo de Americana. Mas de toda criança e jovem que quiser se adaptar ao mundo globalizado”.

 

 

O Bilinguismo

 

Muitas pessoas acreditam que escolas internacionais e escolas bilíngues são a mesma coisa, esse é um erro de pensamento comum. Mas, na verdade, as escolas internacionais seguem os currículos de seus países de origem e são mais procuradas por famílias estrangeiras que moram no Brasil e querem manter sua cultura como principal.

 

Já nas escolas bilíngues, a segunda língua é utilizada como um instrumento de aprendizagem – no caso da Brasil Canadá, o inglês, e todo o currículo deve ser norteado pelas normas da BNCC e do Ministério da Educação brasileiro. Em uma escola bilíngue o aluno deve ter uma maior exposição ao segundo idioma em todos os ambientes da instituição. O português é incluído no currículo de forma gradativa e algumas matérias no Ensino Fundamental são em Inglês, como por exemplo, matemática, artes, educação física e ciências.

 

No Brasil, estima-se que o mercado de educação, levando em conta os setores público e privado, em todos os níveis, movimenta mais de R$ 134 bilhões ao ano. E é importante ressaltar que, segundo pesquisas de empresas do setor, apenas 3% da população brasileira é fluente em outra língua que não o português. Isso mostra que há uma grande lacuna a ser preenchida e aproveitada por escolas e instituições desse segmento. No setor de franchising, as franquias de educação faturaram R$ 12,2 bilhões em 2019, um crescimento de 7,4% em relação a 2018 segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

 

 

 

Sobre o Colégio Brasil Canadá

 

A Brasil Canadá – Educação Bilíngue foi fundada no ano 2000, no bairro de Perdizes, em São Paulo/SP e desenvolve um ensino bilíngue de qualidade, que vai desde a educação infantil até o nono ano do ensino fundamental. A instituição é resultado direto do desejo de profissionais da área de educação em oferecer um ensino diferenciado e de alta qualidade, tendo o bilinguismo como essência e se destaca por se preocupar não apenas com a fluência na Língua Inglesa, mas também com a promoção de um ensino vasto e diversificado, pautado na pluralidade e na qualidade.

 

Em 2017, deu-se início o processo de expansão da rede com a união do colégio Brasil Canadá e o Grupo Kalaes. Hoje, a Brasil Canadá conta com unidades também em São Caetano do Sul/SP, Brasília/DF, Rio de Janeiro/RJ, Santana/SP, Moema/SP e Perdizes/SP.

 

Comentários