Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

24horas Variedades

Guia de compra de celular: como escolher o tamanho certo de memória

Estilo de uso da pessoa será fator determinante para a escolha da opção adequada.

 

Provavelmente, você já ouviu alguém dizendo que a memória do celular tinha se tornado um incômodo, dificultando a instalação de novos aplicativos — isso se essa situação chata já não aconteceu com você. Quem já passou pela falta de armazenamento disponível no smartphone sabe o tamanho do estresse causado.

 

Os modelos mais atuais contam com memória interna maior, o que serve de alívio para muita gente, mas será que todos necessitam de tanto espaço assim? Em alguns casos, escolher uma opção com menos memória, mas que atenda às suas necessidades, compensa mais para o bolso do indivíduo.

 

Abaixo, conheça mais sobre a importância da memória interna no seu aparelho, aprendendo como calcular quanto os arquivos e os aplicativos irão ocupar em seu dispositivo.

Importância do armazenamento

A memória interna do celular é um dos aspectos essenciais que devem ser analisados ao escolher um modelo para comprar. É nela que ficaram salvos o sistema operacional, os aplicativos e os arquivos pessoais, como vídeos, imagens, música e PDFs.

 

Assim, mais memória é sinal de mais informações que você pode guardar em seu aparelho. Entretanto, o aumento do armazenamento também significa o aumento do preço pago pelo aparelho, o que torna mais difícil a aquisição de certo dispositivo para muita gente.

 

Entretanto, não basta comprar um modelo baseado apenas na capacidade de armazenamento. Também é importante que você reflita a maneira como você utiliza o seu celular. Isso porque, em muitos casos, a rotina da pessoa com o aparelho não exige tanto espaço de armazenamento para as necessidades.

 

Para quem utiliza o aparelho de forma menos intensa, sem muitos aplicativos, concentrando suas atividades apenas em apps de mensagem, um aparelho de 32 GB deve servir. Não é o ideal, mas ele pode ser o suficiente para que a pessoa utilize o celular sem precisar apagar nada ou sofrer com problemas de memória.

 

Menos que isso, ela já corre um risco de ter que escolher entre um aplicativo e outro, tendo que apagar constantemente as fotos e os vídeos de seu aparelho. Então, o ideal é olhar aparelhos a partir deste tamanho de memória.

Espaço ocupado pelos arquivos

Para orientar melhor a sua escolha, uma boa maneira é saber qual é a média de ocupação dos aplicativos e dos arquivos que existem em um celular. Assim, é mais fácil calcular quanto espaço você irá necessitar para armazenar o que precisa.

 

Por exemplo, as fotos vão depender da qualidade da câmera do dispositivo. Modelos de ponta geram imagens que variam entre 2 e 10 MB, enquanto aparelhos mais baratos produzem fotografias entre 1 e 5 MB. Isso quer dizer que, se você tiver 1.000 fotos no aparelho, elas podem ocupar entre 1 GB e 10 GB da memória total.

 

Para quem escuta músicas baixadas em aplicativos, como o Spotify, é necessário calcular o espaço que esses arquivos ocupam. Uma quantidade de 100 músicas consome, em média, aproximadamente, 305 MB. Soma-se a isso o tamanho do aplicativo, que é de 166 MB, sendo necessários 471 MB de memória.

 

No caso da Netflix, para quem gosta de ver séries e filmes no celular, também é possível consultar quanto eles podem ocupar na memória. No caso das séries com episódios de 25 minutos, 10 deles rendem cerca de 1 GB. Com o aplicativo do serviço, esse valor chega a, aproximadamente, 1,2 GB.

 

Agora, se você quer comprar um celular para jogar games, deve saber que precisa de modelos com maior armazenamento. Os de 64 GB até podem dar conta, mas, nesses casos, o mais recomendado é que você escolha um de, no mínimo, 128 GB. Isso porque os jogos mobile podem ocupar de 100 MB até 1,5 GB de memória.

 

Também há a questão do sistema operacional. Por exemplo, o Android ocupa cerca de 11,4 GB, enquanto o iOS consome 6 GB. Em um celular com 32 GB, isso corresponderia a um terço da capacidade total, só para ter o sistema que faz o aparelho funcionar, sem levar em conta demais arquivos e aplicativos.

Alternativas para ter mais espaço

Uma alternativa para economizar espaço é procurar pela versão mais leve dos aplicativos. O Facebook e o YouTube, por exemplo, são alguns que contam com essas opções, que têm tamanho reduzido, mas ainda proporcionam uma boa experiência ao usuário.

 

Outra solução é a compra separada de um cartão SD, para ser colocado em seu dispositivo. A maioria dos modelos atuais conta com um espaço para colocá-lo, sendo que os eles conseguem armazenar 16, 32 e até 64 GB, por um valor bem mais em conta que trocar de aparelho.