Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Educação contrata empresas para atendimento a alunos especiais de Americana


A Secretaria de Educação de Americana contratou a empresa Ergoquali, de São Paulo, Associação dos Amigos dos Metroviários, de São Paulo, e a Associação Educacional da Juventude, de Santa Rita do Passa Quatro (SP)  para atender alunos especiais.

Os técnicos em enfermagem (7), cuidadores (15) e intérprete de libras (7) começam a trabalhar na segunda-feira (7/3). Segundo a secretária de Educação, Juçara Novelli, foram contratados profissionais de libras para atender os alunos surdos da Rede Municipal de Ensino.

Os alunos da Rede que necessitam de auxílio terão o apoio de cuidadores. “Eles vão prestar auxílio na alimentação, para ir ao banheiro, higiene pessoal, etc”, revelou a secretária. Alunos vão ter apoio de técnicos de enfermagem para uso de medicamentos, aplicação de insulina, curativos, manutenção de sonda, etc.

“Esse tipo de serviço é pioneiro em nossa Rede de Ensino e acredito que no Estado também. O apoio desses profissionais vai trazer mais segurança para os alunos e pais que necessitam desse tipo de auxilio”, afirmou Juçara.

Segundo dados do setor Inclusivo da Secretaria de Educação, há 218 alunos incluídos na Rede Municipal de Educação, conforme dados oficiais do sistema PRODESP, sendo estes caracterizados pela Lei 7.853/89, Decreto 3.298/99, Decreto 7.611 e artigo 4 da Resolução n° 04 do Conselho Nacional de Educação.

Das 53 unidades educacionais que abrangem Educação Infantil e Ensino Fundamental há 19 salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE), onde é oferecido Tecnologia Assistiva (TA) de baixo, médio e alto custo, disponível nestas salas e com seu uso estendido aos demais espaços escolares. As Escolas Municipais de Americana que possuem alunos com deficiência física e mobilidade reduzida estão de acordo com as normas de acessibilidade, conforme previsto na ABNT NBR 9050.

A Secretaria mantém convênio com a APAE para os atendimentos médicos (Pediatria, Neuropediatria e Psiquiatria) e atendimento terapêutico (Fisioterapia, Psicologia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Psicomotricidade e Núcleo de Habilidade Aquática) e Serviço Social para 127 alunos caracterizados como demanda de inclusão de 4 a 17 anos e para os 30 alunos que compõem o setor de Estimulação Essencial na faixa etária de 4 meses a 3 anos e 11 meses.

Na Escola Municipal para Autista Tempo de Viver há 23 alunos que, além do Atendimento Educacional, também realizam os atendimentos terapêuticos em Terapia Ocupacional e Fonoaudiologia na própria Unidade Educacional, com apoio da Equipe de Enfermagem, composta por uma enfermeira padrão e dois auxiliares de enfermagem. Os atendimentos externos são custeados pela Secretaria de Educação na APAE com médico na área de Clínica Geral, Psiquiatria e Neurologia e Núcleo de Habilidade Aquática.

Ainda na Escola Municipal para Autista Tempo de Viver são atendidos no âmbito terapêutico (Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e Pedagogia) sete alunos com Transtorno de Espectro Autista (TEA) que frequentam as Escolas Municipais de Ensino.

A parceria com o Centro de Prevenção à Cegueira (CPC) é realizada com a disponibilização de três professoras especialistas da Rede Municipal de Ensino de Americana e, em contrapartida, o CPC atende os 10 alunos matriculados na Rede Regular de Ensino de Americana com cegueira e baixa visão.

O Centro de Inclusão Mãos que Acolhem (Central e seus Polos) é um serviço disponibilizado pela Secretaria de Educação para oferecer apoio às Escolas Municipais de Educação Infantil e Fundamental nas áreas de Psicopedagogia, Psicologia, Arteterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional, atendendo 120 alunos com dificuldade e transtorno de aprendizagem. Este Centro também é o responsável pelas avaliações e triagem iniciais para todos os segmentos de apoio ao processo educacional inclusivo. Também custeado pela Secretaria Municipal de Educação, são pagas 10 consultas médicas na área de Psiquiatria e Neuropediatria na APAE para os atendidos no Centro de Inclusão Mãos que Acolhem.

O Modelo de Educação Inclusiva adotado pela Rede Municipal de Ensino de Americana é consonante com a Política Nacional de Educação Especial numa perspectiva de Educação Inclusiva do Ministério da Educação (MEC) de 2008 e agências Internacionais como a ONU e UNESCO, entendendo que o processo inclusivo é exitoso, especialmente, quando todos os agentes educacionais de fato incluem o aluno, oferecendo formas adequadas para elaboração da autonomia e construção do processo de aprendizagem.

O processo educacional inclusivo vai muito além das adequações das estruturas físicas estabelecidas na norma técnica ABNT NBR 9050. Oferecer acessibilidade é apenas o princípio da cadeia que rege as ações da Secretaria Municipal de Ensino de Americana.

 

Unidade de Imprensa

Comentários

Dennis Moraes