Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

24horas Variedades

Como começar a entender os próprios investimentos na Bolsa de Valores

Aprenda agora como funciona a Bolsa de Valores do Brasil (a Bovespa) e saiba como compreender os seus próprios investimentos para aumentar a sua rentabilidade.

Durante a pandemia do novo coronavírus as ações na Bolsa de Valores têm se tornado um assunto em voga para muitas pessoas. Várias desejam começar a operar e lucrar com este mercado, seja investindo na compra de ações, seja com outros tipos de aplicações.

 

E entender tudo sobre PGBL, conhecer os melhores investimentos, saber como funciona a previdência privada e ter um planejamento de longo prazo tornou-se essencial nesse momento de crise e de aumento do desemprego em que vivemos.

 

Além disso, você deve ter percebido que o mercado de trabalho, assim como o mercado financeiro está em constante mudança.

 

Assim, pensando em te auxiliar a investir na Bolsa de maneira assertiva e com maior rentabilidade, elencamos alguns tópicos fundamentais sobre o assunto. Confira agora e boa leitura!

Afinal, o que é a Bolsa de Valores?

Inicialmente, saiba que a Bolsa de Valores é um local onde há negociação de ações de capital aberto, seja de empresas públicas ou privadas. Bem como há negociações de outros tipos de ações tais como:

 

  • Commodities;
  • Contratos futuros;
  • Debêntures;
  • Entre outras opções.

 

Além disso, a Bolsa é a responsável pela transparência e segurança dessas transações. Por fim, ela também é encarregada por estabelecer os seus próprios índices e isso varia de acordo com as cotações das empresas.

 

Como entender os meus investimentos na Bolsa?

Se você já é um operador (trade) na Bolsa ou deseja se tornar um, mas tem receio em não entender nada, fique tranquilo(a). Iremos te ajudar nesse passo a passo para você investir corretamente. Confira!

Tenha conhecimento e calma

De antemão, saiba que um operador da Bolsa não prevê o futuro. O que ele faz é:

  • Analisar o passado de determinadas empresas (e suas ações);
  • Realizar uma leitura do mercado;
  • Avaliar o presente e o possível futuro de um ativo;
  • Após isso, determina se vale a pena ou não arriscar em dado investimento.

 

Desse modo, ter conhecimento e calma antes de investir é fundamental. Por exemplo, após a eleição de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, há uma tendência forte ao aumento de investimentos de alto risco.

 

Segundo o sócio da Monte Bravo Investimentos, Bruno Madruga, o dólar deve baixar em 2021. Para ele, “quanto mais moeda americana temos dentro do Brasil, menor é a sua cotação”.

 

Esse tipo de leitura deve ser feita pelo operador, principalmente caso tenha investimentos em dólar. Portanto, estude o mercado e esteja atento às notícias.

Lei da Oferta e Demanda

Para você compreender bem as suas ações na Bolsa, é primordial saber tudo sobre oferta e demanda.

 

Afinal, quando a procura excede a oferta, a tendência é que o preço suba. Isso porque muitas pessoas estão disputando aquela ação.

 

Contudo, se você deseja viver como um operador, não vale a pena ficar comprando e vendendo ações todos os dias. É necessário estudar e avaliar com calma antes da tomada de decisões.

 

Sobre o atual momento de pandemia que vivemos, Álvaro Frasson, economista do BTG Pactual Digital afirma que seus “estudos apontam que, em média, três meses após o auge dessas doenças, os mercados já estavam normalizados.”

 

O professor realizou uma pesquisa profunda sobre as pandemias mundiais e o mercado de ações, desde os anos 2000 até o presente momento.

 

Ou seja, se você deseja iniciar seus investimentos na Bolsa, não perca tempo. Afinal, em breve tudo voltará ao normal.

Cotação de ações

Essa cotação é baseada na oferta e demanda. Todavia, o que controla esses valores de ações é, na realidade, as perspectivas de todo o mercado financeiro.

 

Em síntese, o que determina esse posicionamento do mercado são:

  • Mudanças políticas;
  • Avanços tecnológicos;
  • Cura de pandemias;
  • Balanço de empresas (positivos ou negativos);
  • Fusão de companhias.

 

Desse modo, ter tais conhecimentos é o básico para conseguir operar na Bolsa de

Valores. Segundo Camila Guimarães, professora na área de economia, “o que as pessoas precisam é entender e interpretar o que estão fazendo e o que está acontecendo.”

Índices da Bolsa de Valores

Um índice é feito a partir de uma série de análises. Assim, quando os índices de determinadas ações sobem, elas se valorizam. Já quando elas caem, elas também seguem esse movimento.

 

Existem diversos índices dentro da Bovespa (a Bolsa brasileira). Porém, iremos falar apenas sobre os 4 mais populares, a saber:

Ibovespa

Esse é sem dúvidas o mais conhecido do país. Desse modo, é o indicador principal de como a Bolsa do Brasil está se saindo.

 

Para os operadores, é chamado de BM&FBovespa. Esse índice deriva-se de acordo com os ativos que mais estão sendo negociados dentro do mercado de ações nacional.

IBrA (Índice Brasil Amplo)

Esse outro índice mede a atuação de todas as empresas que possuem ações na Bolsa de Valores. Em síntese, ele avalia o desempenho dessas empresas e é um indicador importante do mercado de capitais.

 

IBrX 100 (Índice Brasil)

Já esse índice, avalia como estão se saindo as 100 ações mais negociadas na Bolsa de Valores. Ou seja, é um ótimo indicativo para quem investiu em ações que estão dentre as cem maiores.

IBrX 50

Sob o mesmo ponto de vista, esse índice avalia as 50 ações mais negociadas na Bolsa. É baseado no Índice Brasil.

 

Agora que você já conhece mais sobre a Bolsa, chegou a hora de planejar em quais empresas vai aplicar em 2021 para rentabilizar o seu dinheiro.

 

Achei que aqui cabia uma chamadinha, se achar forçada me avise que eu a retiro.

 

https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2020/12/07/especialista-da-dicas-de-como-comecar-a-investir-na-bolsa-de-valores.ghtml