CEU de S. Bárbara terá novas atividades culturais a partir de dezembro

O CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados) de Santa Bárbara d’Oeste, no Planalto do Sol II, contará a partir de dezembro com novas atividades culturais no local. A ação é fruto da parceria entre a Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste e Ministério da Cultura, por meio do Edital Funarte de Ocupação dos CEUs das Artes. Com os editais de ocupação, a Funarte (Fundação Nacional das Artes) espera levar a todos esses espaços ampla atividade cultural, fomentando a cadeia produtiva da atividade artística.

 

Uma coletiva à imprensa nesta quinta-feira (27) marcou o início das ações no espaço cultural com a presença dos secretários de Cultura e Turismo, Eide Froner, e de Promoção Social, Maria Cristina da Silva, a coordenadora do CEU, Kátia Padovesi, e do CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) V, Jéssica Rodrigues, além de representantes da vencedora do edital para atuar na unidade barbarense, o Centro Cultural Casa de Joana de Hortolândia. As matrículas para as oficinas têm início no mês que vem.

 

A Casa de Joana realizará atividades gratuitas de dança, teatro, musica e artes visuais (cinema), além de apresentações artísticas de dança, teatro e música, mostras de artes visuais, oficinas de capacitação artística e oficinas técnicas para moradores do município, em especial no entorno do equipamento, buscando a formação e o despertar para a prática das artes, buscando a continuidade do projeto pelos próprios moradores.

 

Froner agradeceu aos envolvidos no projeto e enalteceu a participação dos artistas na cidade. “Vocês são bem-vindos em Santa Bárbara. É de extrema importância toda forma de produção cultural para nosso povo envolvendo a nossa gente. Estamos muito felizes com essa iniciativa do Ministério da Cultura e Funarte engrandecendo ainda mais a arte barbarense e região, além de todo Brasil”, disse. “Em meio à reunião com a cidade a Casa de Joana também acertou nossa programação com a deles, além de acrescentarmos artistas barbarenses durante as atividades”, complementou.

 

“Serão cinco meses de atividades que resultarão em duas oficinas teatrais, uma oficina de musica, duas oficinas de dança do ventre, duas oficinas de cinema (roteiro e filmagem), uma oficina de Produção e Gestão Cultural, uma oficina de iluminação, 16 apresentações de espetáculos infantis, 16 de espetáculos adultos, 16 de apresentações de musica, 16 apresentações de cinema, produção de um espetáculo teatral, como resultado das oficinas de teatro. Os alunos de dança e música também irão se apresentar, além de exposições de artes todo mês”, ressaltou a coordenadora pedagógica do Centro Cultural, Rita Oliveira.

 

Por sua vez, o diretor da Casa do Joana, Juraci Moreira, explicou aos presentes sobre o projeto para o CEU de Santa Bárbara e o edital. “Nosso Centro Cultural ficou com a melhor nota à nível nacional e escolhemos o CEU de Santa Bárbara para trabalhar esse projeto. Temos a preocupação com o legado. Não viemos ficar cinco a seis meses e ir embora. Queremos que os participantes das oficinas multipliquem os ensinamentos e promovam as ações no CEU. Também contamos como novas experiências para nós e para a comunidade, fomentando a economia criativa e novos artistas”, comentou.

 

Oficinas

 

OFICINA DE TEATRO – Serão duas turmas de teatro, cada uma com vinte vagas disponibilizadas, totalizando 40 vagas.

 

Objetivo: Desenvolver a sensibilidade artística através das oficinas com apresentações artísticas durante e no final do processo.

 

OFICINAS DE CANTO/CORAL –  Uma turma de 20 alunos.

 

Objetivo: Desenvolver a sensibilidade musical, comunicação e socialização através das oficinas.

 

OFICINAS DE VIOLÃO – Duas turmas de 15 alunos cada.

 

Objetivo: Desenvolvimento da convivência, introdução a música e apresentações musicais publicas.

 

OFICINA DE DANÇA DO VENTRE –  Duas turmas de 15 alunos cada.

 

Objetivo: Desenvolver ritmo, autoconhecimento e a expressão corporal, através das oficinas e apresentações.

 

OFICINA DE ILUMINAÇÃO CENICA – Uma turma de 20 alunos.

Objetivo: Montar e operar equipamentos de luz em espetáculos teatrais.

 

OFICINA DE CRIAÇÃO DE ROTEIRO – Uma turma de 15 alunos.

 

Objetivo: Desenvolvimento de roteiros para cinema, tv e radio.

 

FILMAGEM E PRODUÇÃO DE AUDIOVISUAL – Uma turma de 15 alunos.

 

Objetivo: Desenvolver o conhecimento produzindo um curta metragem.

 

OFICINA DE PRODUÇÃO E GESTÃO CULTURAL – Uma turma de 25 alunos.

 

Objetivo: Desenvolvimento de projetos culturais individuais e coletivos.

 

SERVIÇO – Os interessados deverão se cadastrar no CEU, localizada na Rua Argeu Egídio dos Santos, 100, Planalto do Sol II, munidos das cópias do RG, CPF e comprovante de endereço. Os menores de idade deverão vir acompanhados dos pais para o preenchimento e assinatura do cadastro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3458-5868.

 

 

CEUs

 

Os CEUs integram num mesmo espaço programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e de inclusão digital, para promover a cidadania em territórios de alta vulnerabilidade social das cidades brasileiras. Em Santa Bárbara, a unidade possui dois edifícios multiuso, dispostos numa praça de esportes e lazer, CRAS, salas multiuso, biblioteca, telecentro, cineteatro/auditório com 60 lugares, quadra poliesportiva coberta, pista de skate, equipamentos de ginástica, playground e pista de caminhada.

 

A gestão dos CEUs é compartilhada entre as prefeituras e a comunidade, com a formação de um Grupo Gestor, que fica encarregado de criar um Plano de Gestão, e também conceber o uso e programação dos equipamentos. Para potencializar a participação social, o MinC vem realizando amplo mapeamento sociocultural dos Territórios de Vivência dos CEUs, como estratégia de mobilização social das comunidades locais. Esse material auxilia na ativação dos territórios, com visitas do MinC aos municípios para reuniões de validação dos mapeamentos juntamente aos gestores e comunidade. O Programa prevê a instalação de equipamentos sociais de saúde, educação, cultura e segurança pública em todos os estados.

 

 

Centro Cultural Casa de Joana

 

O Centro Cultural Casa de Joana é uma ONG que nasceu da necessidade que artistas da cidade de Hortolândia sentiam de contribuir com o fomento da produção Cultural local, estadual e nacional, através da criação e manutenção de um espaço cultural para realização de oficinas, eventos direcionados a comunidade e produção de espetáculos teatrais. Desde 2006 a entidade conta com a participação voluntária de artistas de vários segmentos, que oferecem oficinas para a comunidade, saraus culturais, eventos gastronômicos e literários, entre outros. O espaço oferece oficina de iniciação teatral, musica, dança e cursos de cinema, rádio e gestão cultural, em sua maior parte gratuito e aberto a comunidade. Além das oficinas a casa realiza saraus, onde artistas locais e convidados se apresentam gratuitamente para toda a comunidade.

 

PROGRAMAÇÃO DE EVENTOS

13 DE DEZEMBRO: ESPETÁCULO “CONTAROLANDO LUIZ GONZAGA”

GÊNERO: RUA

RESPONSÁVEL: CIA AS LUCIANAS (Rio de Janeiro)

Se a gente lembra só por lembrar…Como esquecer do nosso Rei do Baião que colocou o nordeste no cenário musical e artístico do Brasil em uma época em que os olhos estavam voltados para velha Capital Federal? Contarolando Luiz Gonzaga é um  espetáculo montado para todas as idades para homenagear e contar a biografia de um dos mais importantes artistas do cenário nacional. Com suas letras simples e alegres, Luiz Gonzaga conquistou e conquista gerações pela genialidade e atemporalidade da sua obra.

17 DE JANEIRO: ESPETÁCULO ANONIMATO E MORTE DE DORALINDA LINDA POR DEMAIS.

GÊNERO: ADULTO

RESPONSÁVE: CIA SÃO GENÉSIO (Hortolândia)

O espetáculo tem como foco a vida e morte de Doralinda, funcionária pública, que se recusa a partir desse mundo, enquanto não tiver a oportunidade de dar seu grito de liberdade e demonstrar seu potencial como atriz que faz pobre e rica, feia e bonita, faz boazinha e malvada, casada e até encalhada, faz moça e velha, faz comédia e faz tragédia.

18 DE JANEIRO: ESPETÁCULO ”A HISTÓRIA DA CAIXA”

GÊNERO: INFANTIL

RESPONSÁVEL: CIA SÃO GENÉSIO (Hortolândia)

O espetáculo “A história da Caixa”, sugere uma discussão acerca das dificuldades que a humanidade tem vivenciado, no que se refere aos problemas ambientais, guerras, surgimento de novas doenças, etc. Estas questões tem provocado em nossas crianças muitos temores, insegurança e até dificuldade nas relações interpessoais. Esse espetáculo não tem o propósito de alarmar ainda mais o público infantil, sobre tais problemas, mas quer mostrar que mesmo em momentos difíceis, não podemos perder a esperança.

22 DE JANEIRO: APRESENTAÇÃO MUSICAL

Guilherme Lamas

Música instrumental brasileira/choro

24 DE JANEIRO: O CAIXEIRO DA TAVERNA

GÊNERO: ADULTO

RESPONSÁVEL: ANANKÊ PRODUÇÕES ARTISTICAS (Indaiatuba)

O texto narra as peripécias do ambicioso e trapaceiro Manoel Pacheco, cujo maior sonho é ser sócio de sua ama Angélica Pereira, dona da taverna, que morre de amores por ele. A ambição desenfreada deste caixeiro o coloca em situações hilariantes, que certamente proporcionarão bons motivos para dar muitas risadas.

25 DE JANEIRO: ESPETÁCULO OS FABULANTES

GÊNERO: INFANTIL

RESPONSÁVEL: CIA ARTE MÓVEL (Americana)

Espetáculo de contação de histórias, contendo fábulas de La Fontaine, Esopo e Monteiro Lobatto. Utiliza de diversos bonecos e adereços, além do recurso de música ao vivo. Interagindo diretamente com o universo da criança.

29 DE JANEIRO: APRESENTAÇÃO MUSICAL

Clube do Samba

Baluarte do Samba de Raíz – Cultura  Popular de Nossa Gente

31 DE JANEIRO: ESPETÁCULO “Cicatriz na maçã

GÊNERO: ADULTO

RESPONSÁVEL: CIA OLHOS NEGROS (Mogi Guaçu)

Cicatriz na maçã é um monólogo de investigação cênica a partir de nuances do Feminino. Em cena, a figura de uma escritora que vive as vertentes de um dilema ancestral: qual estrada trilhar? Trilhar ou não trilhar? O espetáculo fragmenta-se em movimentos cênicos, meras tentativas na direção de caminhos possíveis.

Foto: Luís Eduardo Deffanti

Assessoria de Imprensa

Comentários

Notícias relacionadas