SB24Horas

Notícia na hora certa!

4 maneiras de não se pedir demissão

Pedir demissão é uma atitude definitiva, portanto, é preciso analisar diferentes aspectos antes de solicitar o desligamento da empresa. Confira agora o que você deve fazer para evitar esse ato!

Quem nunca pensou em fazer um pedido de demissão do trabalho, não é mesmo? Afinal, muitas vezes a vida profissional se torna desgastante e as funções deixam de ser agradáveis, sendo assim, deixar tudo para trás pode se tornar uma opção.

No entanto, é necessário ter em mente que, principalmente em tempos nos quais a economia anda tão incerta, abrir mão de um emprego não é uma decisão interessante.

Dessa forma, é preciso pensar muito e ter completa certeza da decisão, para garantir que a situação financeira e a vida pessoal não será afetada e que mudanças bruscas não serão feitas.

Nesse sentido, muitas vezes uma boa opção é buscar por diferentes alternativas para não pedir demissão. Assim, mantém-se o emprego e garante-se a renda mensal, a qual sabemos que é tão necessária para todos.

Confira abaixo 4 dicas práticas para melhorar o clima no seu trabalho e assim evitar o pedido de demissão .

Quando é o momento de pedir demissão?

De maneira geral, não há uma regra exata sobre o momento certo de pedirmos demissão de um trabalho. Afinal, cada caso é um caso e, a partir disso, cada pessoa possui seus motivos para encerrar uma jornada.

No entanto, é preciso levar em consideração alguns fatores antes de tomar uma decisão definitiva, a qual afetará de diversas formas a vida pessoal e profissional. São eles!

Questão financeira

Desde pequenos ouvimos que não podemos escolher um emprego somente pelo dinheiro.

No entanto, na vida adulta percebemos que essa é uma questão que deve sim ser levada em conta, afinal, é preciso ter um salário compatível com nossos objetivos e nosso nível de vida.

Sendo assim, antes de trocar de emprego é preciso entender como está o seu salário em comparação ao mercado.

Muitas vezes estamos ganhando bem mais do que outras pessoas com a mesma função, fazendo com que tenhamos uma queda brusca quando ocorre a troca. Nesses casos as dívidas começam a bater na porta, o que é prejudicial em diversos sentidos.

Portanto, antes de tomar uma decisão definitiva vale entender bem como é a saída x entrada de dinheiro em seu orçamento, verificando o quanto a ausência do salário irá impactar também na vida pessoal.

Satisfação pessoal

De nada adianta ganharmos bem em uma função se não nos sentimos satisfeitos com o que fazemos.

Portanto, a sua satisfação no emprego deve ser pensada da mesma forma que o salário recebido. Nesse momento, avalie não somente como você está se sentindo no momento, mas o quanto a sua função e o seu papel na empresa te agradam.

Caso você sinta que está muito longe da sua vocação ou do que realmente deseja fazer no futuro, pode ser uma boa opção deixar tudo para trás e seguir novos rumos, alcançando seus sonhos.

Benefícios inclusos

Muitas vezes estamos insatisfeitos com nosso salário, o que acaba se tornando um motivo definitivo para sair da empresa. No entanto, acabamos não pensando nos benefícios oferecidos por ela, o que também possui um impacto direto no valor final que será recebido.

Por exemplo, migrar de uma empresa que oferece vale alimentação e um salário 200 reais mais baixo para outra empresa que tem o salário maior, mas não inclui o benefício, não é vantajoso.

Afinal, o valor agregado mensalmente provavelmente será gasto no mercado, resultando em uma remuneração praticamente idêntica. Sendo assim, vale observar bem o contexto das diferentes propostas para obter um resultado.

E quando não é a hora de pedir demissão, o que fazer?

Se você observou todos os pontos citados acima e concluiu que ainda não é a hora de deixar o seu cargo, não é preciso simplesmente se acomodar.

Já que, existem diversas alternativas que podem ser adotadas por quem não está feliz profissionalmente, mas também não se sente preparado para pedir demissão.

O mais importante nesses casos é entender sua própria situação e compreender o que nela mais afeta sua vida pessoal e sua saúde mental. A partir disso, pode-se optar por caminhos como.

1.   Ter uma conversa franca com a gestão

Pode até parecer clichê, mas muitas vezes uma conversa franca faz toda a diferença. Isso porque, principalmente em empresas maiores, a gestão não consegue observar pequenos problemas de rotina, os quais afetam diretamente os colaboradores e muitas vezes são geradores de um estresse excessivo.

Nesse sentido, expor sua insatisfação pode produzir bastante efeito, tendo em vista que a gestão conhecerá o problema e poderá tomar atitudes para resolvê-lo.

No entanto, é importante ter em mente que as empresas trabalham com regras. Portanto, nem sempre a solução aparecerá de primeira.

É preciso ter paciência para colher os frutos da conversa e também as melhorias que surgirão depois dela.

2.   Solicitar uma troca de setor

Muitas vezes você está se sentindo insatisfeito com as suas funções e, por conta disso, pensa em fazer o pedido de demissão, para experimentar novos ares.

No entanto, essa tão esperada mudança não precisa vir de fora, podendo acontecer também dentro da própria empresa.

Em outras palavras, se você não está satisfeito com o seu departamento, pode solicitar uma troca, assumindo um novo cargo e novas funções.

Em muitos dos casos essa pequena atitude já é o suficiente para proporcionar a mudança de ares que você precisa, mas sem tantos transtornos como uma troca de emprego.

3.   Conversar com os parceiros de equipe

Não é segredo que são as pessoas que trabalham conosco que definem o clima do ambiente e o modo como ele funciona no dia a dia. Nesse sentido, quando a equipe não se dá bem e entra em conflito constantemente, é comum que a rotina fique muito mais pesada e difícil de encarar.

Por esse motivo, muitas vezes uma conversa franca é mais do que suficiente para resolver a situação e fazer com que o clima de trabalho fique muito mais leve.

Caso não seja possível conversar diretamente com os outros colaboradores, pode-se pedir um auxílio da gestão para mediar a conversa. Com isso, o momento ganha ainda mais força e os resultados tendem a aparecer bem rápido.

4.   Pedir um aumento salarial

Como citamos acima, a questão financeira muitas vezes é definitiva na hora de tomar uma decisão sobre o emprego.

Porém, antes de pedir demissão, uma boa opção é conversar com a gestão abertamente sobre um aumento.

Muitas vezes essa pequena atitude é capaz de transmitir a mensagem de insatisfação e criar um alerta para os líderes, que verão que os colaboradores estão se sentindo pouco valorizados.

Além disso, receber um aumento da empresa é bem mais vantajoso do que pedir demissão, tendo em vista que ao sair abre-se mão da retirada de benefícios como o FGTS, os quais ficarão retidos por algum tempo. Nesse sentido, é evidente que a tentativa vale a pena, podendo produzir resultados para todos os membros da equipe.

Pedir demissão é uma atitude drástica, a qual precisa ser muito bem pensada antes de ser tomada de forma definitiva. Portanto, analise bem todos os pontos que envolvem o seu emprego e os reais motivos pelos quais deseja deixá-lo.