SB24Horas

Notícia na hora certa!

Seria o home office uma tendência definitiva?

Mesmo com a retomada dos setores, o home office se mantém forte em diversas empresas e passa a ser olhado para o futuro

É cada vez mais comum que, nos processos de admissão, os profissionais perguntem sobre o home office e esse já virou até motivo de escolha de diversos setores para escolherem ou não um emprego.

Se antes o home office era um privilégio apenas para alguns, a pandemia fez com que a solução que foi tomada às pressas passe a ser cada vez mais uma tendência dentro de muitas empresas.

Mas será que o home office vai ser mesmo um modelo de trabalho definitivo por aqui? Vamos falar mais sobre ele, acompanhe!

O home office como tendência definitiva

O home office caiu no gosto daqueles que puderam ou ainda podem atuar nessa modalidade. Segundo uma pesquisa da Robert Half, empresa global de consultoria em recursos humanos, 86% dos profissionais ainda querem trabalhar de casa, mesmo após o fim da pandemia.

Já de acordo com uma projeção da FGV, a tendência é que o modelo cresça cerca de 30% no Brasil e permaneça em muitos setores em que é possível realizar as entregas, independente de onde esteja o trabalhador.

É preciso dizer que o home office foi implantado às pressas e com quase dois anos de pandemia as empresas passam agora a olhar para isso e se estruturar de forma mais verdadeira.

Se no início do isolamento social os profissionais basicamente pegaram suas ferramentas e foram para casa, hoje existem maiores regras, processos, formas de acompanhamento e estruturas para que a cultura da empresa não se perca com a distância.

Graças aos resultados que o modelo levou para muitos negócios, diversas empresas já entregaram parte de seus escritórios e implementaram o modelo como definitivo, sem exigir a presença física do profissional na organização.

Outras, estão retomando aos poucos suas atividades, mas sem deixar o home office para trás. Dessa forma, passam a seguir o modelo híbrido, ou seja, com atuações divididas entre empresa e casa.

A partir dessa tendência, surge o termo “anywhere office”, que significa o escritório ou trabalhado literalmente de qualquer lugar. Com essa possibilidade, as empresas passam a olhar profissionais de diversas partes do Brasil – e até do mundo –, afinal, a barreira geográfica fica para trás.

Vantagens de seguir essa tendência

O home office é uma tendência que se mostra forte nas organizações e isso só acontece pelas vantagens que ela leva para o colaborador e empresa, como:

Flexibilidade e produtividade

Quando a empresa opta pelo home office, ele dá a opção para que o colaborador construa melhor a sua rotina para além do trabalho. É preciso pensar que as pessoas perdem muito tempo no trânsito, transporte e deslocamento e, ao trabalhar de casa, ganha-se em horas que se revertem em produtividade.

Nessa modalidade, mais do que horas contadas de presença, o critério de trabalho passa a ser as entregas e isso pode fazer toda a diferença no desempenho do profissional.

Em um estudo do Boston Consulting Group, 75% dos funcionários que trabalham remotamente relataram ser capazes de manter ou melhorar a produtividade em suas tarefas individuais, e 51% dizem o mesmo sobre as tarefas colaborativas.

Melhoria na gestão de custos

Ao manter parte ou o time completo em home office, os escritórios precisam de menos espaço e há menor demanda de gastos para a estrutura. Sendo assim, há grande redução de custos para os negócios, que podem realocar seus gastos com aluguel e manutenção de espaços para inovações e investimentos internos.

Segundo pesquisa da Indeed, os gastos operacionais diminuem em 50% para quem adota esse modelo de trabalho.

Isso não quer dizer que sua empresa não existirá mais fisicamente, mas em muitos casos elas deixam de ser estruturas de muitos andares e viram escritórios menores e mais simples.

Atração e retenção de talentos

Ao ter a possibilidade de trabalhar de qualquer lugar, a empresa ganha também na contratação de profissionais em qualquer que seja a região. Dessa forma, o local deixa de se limitar a contratar talentos por proximidade e pode expandir seu nível de busca para compor o quadro de times.

Muitas empresas lidam com escassez de profissionais em certas áreas e, buscar por pessoas em outros lugares do Brasil – ou do mundo – faz todo sentido no home office.

O home office tende a ser comum na vida dos mais diversos profissionais e é possível que esse modelo de trabalho seja cada vez mais ampliado nas organizações, com cada vez mais recursos e estruturas.

Como está o modelo de trabalho no local em que você atua? O home office já é uma realidade para presente e futuro?