Limeira 

Vereadores da CPI do Pedágio ouvem assessor de transporte da Secretaria de Mobilidade Urbana e parlamentar de Cordeirópolis


Reunião ocorrida na tarde desta terça-feira colaborou, na análise do presidente da comissão, para que alguns detalhes, sobretudo das planilhas técnicas, fossem elucidados

 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura o uso do dinheiro arrecadado pela Prefeitura com o pedágio da Rodovia Doutor Cássio de Freitas Levy (Limeira-Cordeirópolis) recebeu o assessor de transporte da Secretaria de Mobilidade Urbana, Marco Antônio Pinheiro dos Santos, e o vereador Alceu, de Cordeirópolis, para, respectivamente, depoimento e declaração acerca de temas relacionados à investigação defendida pelos parlamentares limeirenses, na tarde desta terça-feira, 5, na Sala de Reuniões Vereador Mauro Sérgio Vieira.

Santos esclareceu dados que constam em parte das planilhas técnicas e relatórios enviados à CPI (já passam de 19 mil folhas registradas e rubricadas até o momento), além de pontuar o cotidiano da praça do pedágio e como funciona o seu trabalho no local. “Fico no período da manhã no pedágio e, à tarde, atuo diretamente na Secretaria de Mobilidade Urbana”, disse.

Sobre os relatórios com os valores arrecadados, Santos detalhou que, em alguns casos, podem haver diferenças de centavos que são justificadas. “Há algumas situações onde moedas caem ao solo ou o arrecadador recebe a mais, ou a menos, algumas moedas. Situações que sempre podemos explicar”, garantiu ele. O assessor de transporte disse ainda que a metragem oficial da Rodovia sob responsabilidade da Prefeitura de Limeira é de 6,38km, até à primeira rotatória, e apresentou uma comparação do número de acidentes que existe na Limeira-Cordeirópolis e na Limeira-Mogi Mirim.

O vereador Alceu apresentou um estudo sobre a possibilidade de duplicação na Limeira-Cordeirópolis, que se inicia no Jardim Vanessa até à região do pedágio. “Nesse estudo, entendemos que não há necessidade de desapropriação e a duplicação custaria em torno de R$ 40 mi”, declarou. Ele, que sofreu um acidente na Rodovia no ano de 2000, comentou que “independentemente da quantidade de acidentes, precisamos otimizar a melhoria daquela via”. O parlamentar da cidade vizinha revelou que haverá, em breve, uma audiência pública lá acerca do tema e convidou os vereadores da CPI do Pedágio para participarem.

Para o presidente da CPI, Aloízio Marinho de Andrade, as participações de Santos e Alceu foram importantes para o andamento dos trabalhos da comissão. “No caso do assessor da Secretaria de Mobilidade Urbana, por exemplo, sua vinda à CPI colaborou para que alguns detalhes, sobretudo das planilhas técnicas, fossem elucidados”, completou. Além de Aloízio, fazem parte da CPI Farid Zaine (relator), José Eduardo Monteiro Júnior, o Jú Negão (autor do requerimento que instaurou a CPI), Jorge de Freitas e Prof.ª. Érika Monteiro.

 

PRÓXIMOS PASSOS

Na próxima terça, 12, às 14h30, haverá reunião de estudos entre os vereadores da CPI. Já na semana seguinte, dia 19, no mesmo horário, deve ocorrer o depoimento da ex-secretária de Mobilidade Urbana, Andréa Júlia Soares.

Comentários

Leia também...