Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Americana Política

Vereadora Professora Juliana propõe medidas de prevenção e combate à importunação sexual no transporte público

A vereadora Professora Juliana (PT) protocolou na secretaria da Câmara Municipal de Americana um projeto de lei em que propõe a criação de medidas de prevenção e combate à importunação sexual no sistema de transporte público do município.

 

No texto a parlamentar propõe a afixação, nos ônibus, áreas de circulação de passageiros nos terminais e pontos de comercialização de bilhetes, de placas ou cartazes que informem a tipificação do crime de importunação sexual e apresentem os canais para efetuar denúncias, como o Disque 180 (Central de Atendimento à Mulher) e o 190 (Polícia Militar).

 

A lei determina ainda que as câmeras de videomonitoramento e o sistema de GPS dos ônibus, quando existentes, deverão ser disponibilizados para a apuração da denúncia. Os cartazes deverão ter seus textos e imagens elaborados pelo Conselho Municipal de Direitos da Mulher e, em caso de descumprimento da lei pelas empresas, será aplicada multa de 100 Unidades Fiscais de SP (UFESP), equivalente atualmente a R$ 2.909,00.

 

Segundo a autora, o objetivo do projeto é implementar uma campanha educativa, preventiva e permanente relacionada ao crime de importunação sexual, que se configura pela “prática, contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”, conforme a Lei Federal nº 13.718/2018.

 

“O número de pedidos de medidas protetivas em Americana cresceu 26% em 2020 no comparativo com o ano anterior. Esse dado evidencia o quanto é importante que gestores e parlamentares se empenhem na elaboração de políticas públicas e mecanismos voltados à promoção de direitos e proteção das mulheres vítimas de violência”, defende Juliana.

 

“A lei federal 13.718/2018 torna possível a responsabilização do agressor, o acolhimento à vítima, e principalmente, viabiliza a desnaturalização desta prática tão comum vivenciada por mulheres de todas as idades em diferentes ambientes da vida cotidiana, prática esta ainda mais frequente no transporte coletivo”, acrescenta a vereadora.

 

O projeto de lei será encaminhado às comissões pertinentes e, não havendo impedimento legal para sua tramitação, será discutido e votado pelos vereadores, em plenário, durante sessão ordinária.