Serviço de informações ao turista é ampliado em Teresina PI

A Central de Artesanato “Mestre Dezinho” agora conta com um CAT.

Com o objetivo de melhorar a receptividade ao turista, a Prefeitura de Teresina, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), assinou um termo de cooperação técnica com a Sedet viabilizando a instalação de um Centro de Atendimento ao Turista (CAT) na Central de Artesanato “Mestre Dezinho”.

 

Os CATS funcionam através de box espalhados em determinados pontos da cidade, com pessoas qualificadas pelo programa QualificaTur que prestam informações sobre o turismo em Teresina, além da distribuição de impressos com mapas e eventos.

 

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fábio Nery, a preocupação do Estado com o turismo de Teresina ajuda na sedimentação de uma melhor receptividade aos visitantes. “É interessante termos essa comunicação e demonstração de preocupação por parte do Estado com esse setor. Precisamos desse apoio para que a nossa parte seja melhor executada e ofertada as pessoas”, declarou Fábio Nery.

 

Elogiando os passos que a Prefeitura vem dando no sentido de fomentar o turismo da capital, a secretária da Sedet, Patricia Freitas, reconhece a iniciativa como interessante. O papel da Sedet é disponibilizar o espaço adequado ao CAT, e da Semdec o fornecimento de material promocional e a qualificação do guia turístico.

 

Participaram da reunião além dos secretários da Sedet e Semdec, o Coordenador Especial de Turismo de Teresina, Eneas Barros e a Superintendente da Sedet, Ivani Gonçalves.

 

TERESINA, EU VIVO DE AMORES.

Teresina é grande, não somente em suas dimensões físicas. É grande no seu jeito caloroso de receber os que aqui chegam e se surpreendem com uma cidade planejada, limpa,de vias largas e povo hospitaleiro; encontram aqui muito mais do que esperavam. Com seu jeito faceiro e acolhedor, Teresina sabe como deixar plantada no visitante a sementinha de saudade. E se saudade tem cor, ela é verde como Teresina. Ao sobrevoá-la, o escritor Coelho Neto rebatizou-a com o nome de Cidade Verde. Há também quem a chame de Mesopotâmia do Nordeste, por estar situada entre dois rios: o Poti e o Parnaíba. Rios que se encontram na zona norte da cidade e seguem, unidos, para o mar.

Teresina é uma cidade de muitos cores e sabores. Da pimenta de cheiro à cajuína, passando pela paçoca, baião-de-dois, sarapatel, Teresina tem um gostinho de conversa boa em mesa de bar, de noites cheias de música, de cadeira na calçada. Nas praças, à sombra dos caneleiros, oitizeiros e ipês, pode-se jogar conversa fora, livre da tirania do relógio. Cidade tranqüila, “a tez morena”, Teresina é um convite a ficar. Eis o mapa da cidade que se entrega, sem reservas, a quem vem em paz. Siga-os e se surpreenda. Volte sempre.

HISTÓRIA DE TERESINA

Teresina tem suas raízes na Barra do Poti, onde, em 1760, já havia um aglomerado de fogos, ou seja, casas habitadas por pescadores, canoeiros e plantadores de fumo e mandioca.

Historicamente, a mudança da sede administrativa da Província do Piauí, para a Vila do Poti, hoje Teresina, se deve, em primeiro lugar, em razão da localização da então sede, Vila da Mocha, encontrar-se no sertão, região seca e árida, distante aproximadamente 30 léguas do Rio Parnaíba, principal meio de escoamento econômico da época e muito distante do mar, onde já se localizava um potencial posto de comércio(compra, venda e troca) futuro, com o mercado externo e fácil intercambio com outros centros de civilização do Império. Ainda, segundo alguns historiadores, a então capital, ficava distante da cidade de São Luis, cidade sede do Governo do Estado do Maranhão e Grão – Pará, cuja jurisdição a capitania do Piauí era subordinada e próxima a cidade de Caxias(Ma), a segunda maior cidade em importância econômica do Maranhão.

A Vila do Poti, localizada na confluência dos Rios Parnaíba com o Poti, (barra do Poti) era cortada pelas estradas que ligavam Oeiras a Parnaíba e com sua posição geográfica privilegiada, foi denominada de Vila Nova do Poti, a qual foi elevada á categoria de cidade por força da resolução N° 315, de 21 de julho de 1852, editada pelo então Presidente da Província do Piauí, José Antonio Saraiva, com o nome de Teresina.

Vale ressaltar que a transferência da capital da Província do Piauí de Oeiras para Teresina realizou-se sob vários protestos da comunidade oeirense, que desejava a todo custo, garantir a permanência da capital naquela cidade.

Contudo, apesar da pressão, o Presidente da Província, José Antônio Saraiva, ardoroso defensor das idéias mudancistas, efetiva a transferência da capital. E em 16 de agosto de 1852, dirige circular a todos os Presidentes de Província do Império comunicando o fato.

Autorizada a transferência da sede do governo da Província para a nova cidade, registrou-se extraordinário aumento populacional, transformando-se num dos maiores centros comerciais da região, demonstrando desde já, sua vocação comercial..

Teresina foi a primeira cidade do Brasil construída em traçado geométrico. Ela não nasceu de forma espontânea, mas de modo artificial. Saraiva, pessoalmente, tomou as primeiras providências: planejou tudo, com o cuidado de estabelecer logradouros em linhas paralelas, simetricamente dispostas, todas partindo do Rio Parnaíba, rumo ao Rio Poti.

No ano de 1860, a nova capital já contava com uma área urbanizada de um quilômetro de extensão na direção norte-sul, com os seguintes confrontos: de um lado o largo do quartel do Batalhão (atual Estádio Municipal Lindolfo Monteiro) e do outro o “Barrocão” (atual Avenida José dos Santos e Silva). Na direção leste-oeste o desenvolvimento não ganhou a mesma intensidade. Tomando-se como base o lado do Poti, as ruas findavam a algumas dezenas de metros acima das duas principais praças a da Constituição, atual Praça Marechal Deodoro da Fonseca (que anteriormente também denominou-se Praça do Palácio e Largo do Amparo), e a do Largo do Saraiva (atualmente Praça Saraiva). Para o lado do Parnaíba, nem todas as ruas chegavam ao rio. A Rua Grande, atual Rua Álvaro Mendes, uma das principais ruas da nova capital teve um papel significante no desenvolvimento da nova cidade.

Teresna Menina

Ares de modernidade

 

 

http://www.turismoteresina.com

 

Comentários

Notícias relacionadas