Seleção Masculina de basquete desembarca nesta 3ª feira em SP


A Seleção Brasileira Masculina comandada pelo técnico Rubén Magnano desembarca, nesta terça-feira (dia 28), às 10h05 de Brasília, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Na bagagem a medalha de ouro nos 17º Jogos Pan-Americanos de Toronto, a sexta do Brasil na história da competição e a quarta nas últimas cinco edições dos Jogos (Winnipeg/1999, Santo Domingo/2003, Rio de Janeiro/2007 e Toronto/2015).

Aos 32 anos, o ala Olivinha disputou o primeiro Pan de sua carreira e faz questão de destacar o trabalho desenvolvido desde o primeiro dia e o comprometimento entre jogadores e comissão técnica.

“Essa seleção foi realmente uma família desde o primeiro treino, uma união muito grande e dentro de quadra cada um sabia o seu papel na equipe. Trabalhamos forte durante cerca de 40 dias para fazermos o melhor trabalho possível. Mérito do Rubén (técnico) que tem o grupo na mão e implantou uma filosofia que o grupo entendeu perfeitamente”, disse Olivinha. “Fiquei muito feliz em ter sido lembrado para a seleção e por estar aqui fazendo parte desse grupo atletas vencedores”, completou.

Um dos últimos a se integrar à Seleção Brasileira por conta do título de campeão francês, o pivô João Paulo Batista comemora o bicampeonato dos Jogos oito anos depois da medalha de ouro no Rio de Janeiro, em 2007.

“Esse ouro tem um gosto muito especial. Viemos com uma equipe com jogadores dispostos a fazer o que fosse necessário em prol do grupo. Nossa união do começo ao fim foi essencial. Aquele momento no pódio recebendo a medalha de ouro e vendo a bandeira brasileira subindo ao som do hino nacional, não tem preço. Tenho muito orgulho de vestir a camisa do Brasil e esse ano por ser minha segunda medalha de ouro no Pan a emoção e a honra vêm em dobro”, afirmou JP, que nos cinco jogos em Toronto assinalou 41 pontos e pegou 25 rebotes.

Nas dezessete edições do torneio masculino, o Brasil subiu 14 vezes ao pódio e, por seis vezes, assegurou a medalha de ouro: Cali, na Colômbia (1971); Indianápolis, nos Estados Unidos (1987); Winnipeg, no Canadá (1999); Santo Domingo, na República Dominicana (2003); Rio de Janeiro, no Brasil (2007) e Toronto, no Canadá (2015). Foram mais duas medalhas de prata (1963 e 1983) e seis de bronze (1951 / 1955 / 1959 / 1975 / 1979 e 1995).

Campanha do Brasil

1ª rodada – Brasil 92 x 59 Porto Rico
2ª rodada – Venezuela 64 x 79 Brasil
3ª rodada – Estados Unidos 83 x 93 Brasil
Fase Semifinal – Brasil 68 x 62 República Dominicana
Disputa da medalha de ouro: Brasil 86 x 71 Canadá

Classificação Final
1º- BRASIL (campeão invicto); 2º- Canadá; 3º- Estados Unidos; 4º- República Dominicana; 5º- Argentina; 6º- Porto Rico; 7º- Venezuela; 8º- México

Seleção Brasileira Adulta Masculina
Nome – Posição – Idade – Altura – Clube – UF

4. Ricardo Fischer – Armador – 24 anos – 1,83m – Bauru Basquete (SP) – SP
5. Rafael Freire Luz – Armador – 23 anos – 1,88m – Rio Natura Monbus Obradoiro (ESP) – SP
6. Augusto Cesar de Lima Brito – Pivô – 23 anos – 2,08m – UCAM Murcia (ESP) – RJ
7. Larry James Taylor Júnior – 34 anos – Armador – 1,85m – Mogi das Cruzes (SP) – Estados Unidos
8. Vitor Alves Benite – Ala-Armador – 25 anos – 1,90m – Flamengo (RJ) – SP
10. Carlos Alexandre Rodrigues do Nascimento “Olivinha” – Ala-Pivô – 32 anos – 2,03m – Flamengo (RJ) – RJ
11. Rafael Hettsheimeir – Pivô – 28 anos – 2,08m – Bauru Basquete (SP) – SP
12. Rafael Ferreira de Souza – Pivô – 26 anos – 2,09m – Limeira (SP) – MG
13. João Paulo Lopes Batista – Pivô – 33 anos – 2,06m – Limoges (França) – PE
14. Leonardo Simões Meindl – Ala – 22 anos – 2,00m – Bauru Basquete (SP) – SP
15. Marcus Vinicius Urban Toledo dos Reis – Ala-Pivô – 28 anos – 2,03m – Pinheiros (SP) – SP
Média de idade: 26 anos
Média de altura: 1,97m

Comissão Técnica

Administrador: Vinicius Alvarez
Técnicos: Rubén Magnano
Assistentes Técnicos: José Alves Neto e Demétrius Conrado Ferraciú
Preparador Físico: Diego Maroja Falcão

 

 

 

Fonte CBB
Foto:Gaspar Nóbrega/Inovafoto/Bradesco

Comentários

Notícias relacionadas