Secretarias realizam palestras sobre lixo e saúde para estudantes

As Secretarias de Saúde e Educação de Santa Bárbara d’Oeste seguem com ciclo de palestras com alunos do 3° ano do Ensino Fundamental das escolas municipais. Com o tema “Lixo, Animais Sinantrópicos e Saúde”, a palestra é a principal ação do eixo “Saúde Ambiental e Desenvolvimento Sustentável” do PSE (Projeto Saúde na Escola). As ações do eixo iniciaram em abril de 2014 e foram realizadas em 17 escolas, englobando mais de 1 mil alunos e professores. As palestras têm duração de 1 hora e serão concluídas em novembro, quando as 24 escolas municipais com alunos de 3° ano serão atendidas.

 

O chefe de Combate a Endemias, Luiz Eduardo Chimello de Oliveira, avalia o projeto como muito positivo para as crianças. “As crianças têm mostrado muito interesse durante as palestras e a participação dos alunos tem sido alta em todas as escolas. Levamos alguns animais do nosso laboratório que são expostos pelos estagiários do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). Os educandos ficam interessados pelo material”, disse.

 

Oliveira ressaltou ainda que a desconstrução do conceito de “lixo” é o ponto de partida para a atividade que é realizada com os alunos. Os alunos são convidados a refletir sobre a pergunta “O que é lixo?” a partir da observação de fotos do que geralmente seria chamado de “lixo”. O objetivo, segundo o biólogo, é encaminhá-los para a conclusão de que “lixo” não existe como objeto real e que este conceito é inadequado para lidarmos com os resíduos produzidos pelas atividades humanas.

 

A partir da conceituação de resíduo os técnicos do CCZ apresentam os problemas relacionados ao acondicionamento e destinação inadequados dos resíduos, além dos problemas de saúde. “A biologia do animal sinantrópico em questão é abordada de forma sucinta e o ciclo da zoonose é exposto aos alunos. As zoonoses abordadas em detalhe são leptospirose, raiva, febre maculosa e dengue. Além disso, os alunos são informados sobre medidas preventivas para acidentes com serpentes, escorpiões e aranhas”, enfatizou Oliveira.

 

A coordenadora do Núcleo de Educação Ambiental “Fioravanete Luiz Angolini”, Gilmânia Paiva, destacou ainda que a participação dos professores no projeto é de extrema importância. “Os educadores são muito receptivos ao projeto e têm elaborado atividades após a palestra para consolidação dos conteúdos apresentados. Nosso objetivo é que este material sirva como ferramenta para discussões em sala de aula que envolvam os temas meio ambiente e saúde”, explicou.

 

Fotos: Divulgação

Comentários

Notícias relacionadas