Prefeitura adere ao movimento Outubro Rosa

A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste, por meio da Secretaria de Saúde, promoverá neste mês atividades do movimento Outubro Rosa, que consiste em uma série de atividades para a prevenção do câncer de mama. Até o final deste mês, estará à disposição do público, em dias específicos, coleta de papanicolau, encaminhamento para a mamografia, orientações sobre câncer de mama e colo de útero e panfletagem nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do município.
Para marcar o início da programação, o Paço Municipal, Teatro Municipal Manoel Lyra e Praça Coronel Luís Alves (Central) receberam a iluminação em tom rosa. Serviores promoverão salas de esperas ativas em todas as unidades de 13 a 17 de outubro. As UBSs também apresentarão vídeos durante todo o mês de outubro sobre prevenção e auto-exame. O intuito é fazer o rastreamento para a detecção do câncer na população alvo, especialmente em mulheres que nunca fizeram os exames.
O secretário de Saúde, Dreison Iatarola, ressaltou que as ações serão desenvolvidas durante todo o mês de outubro com o objetivo de conscientizar toda a população, sobretudo as mulheres e sensibilizar sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama e do câncer de colo de útero. “Apesar de se tratar de doenças graves, sabemos que quando diagnosticadas logo no início as chances de cura são excelentes. Não podemos permitir que em pleno século XXI, mulheres continuem padecendo deste mal pela falta de acesso e pela falta de informação sobre estas doenças”, comentou.
O Outubro Rosa é um movimento mundial de mobilização de prevenção do câncer de mama realizado todos os anos no mês de outubro, com a finalidade de conscientizar as mulheres sobre a importância do autoexame das mamas e do diagnóstico precoce da doença. O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres e quando diagnosticado precocemente oferece mais chances de um tratamento adequado e cura. Apesar disso, as taxas de mortalidade em decorrência da doença continuam elevadas no Brasil.
O Instituto Nacional de Câncer (Inca) prevê 57.120 novos casos até o final de 2014, com cerca de 60 mulheres afetadas entre cada 100 mil. Mesmo com o avanço da medicina e dos exames laboratoriais, que permite identificar o câncer de mama no inicio, na maioria das vezes, o tumor ainda é diagnosticado em estágios avançados no país, o que dificulta a perspectiva de um tratamento curativo.
<strong>Confira a programação da Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste:</strong>
18 de outubro, 8 horas – Coleta de Papanicolau nas UBSs Vista Alegre e Conjunto Roberto Romano e mutirão de coleta depapanicolaou com encaminhamentos de mamografianas UBSs.
19 de outubro, às 8h30 – Centro Social Urbano – Caminhada Pense Rosa
21 de outubro, às 13 horas no CRAS I – Vista Alegre – Orientação ao Câncer de Mama – Oficina Dançaterapia
22 de outubro, às 13 horas no CRAS II – São Fernando – Orientação ao Câncer de Mama – Oficina Dançaterapia
24 de outubro, às 9 horas no CRAS III – Nova Conquista – Palestra – Inteligência Emocional na Prevenção ao Câncer
25 de outubro, às 14h30 na Igreja Nazareno – Palestra e Chá da tarde
28 de outubro, às 13 horas no CRAS IV – Romano – Orientação ao Câncer de Mama – Oficina Dançaterapia
29 de outubro, às 13 horas no CRAS V – Planalto do Sol – Palestra – Inteligência Emocional na Prevenção ao Câncer
1º de novembro, às 8 horas na Denso do Brasil – Orientação e Panfletagem
Sintomas do Câncer de Mama

Os sintomas palpáveis do câncer de mama são o nódulo ou tumor no seio, acompanhado ou não de dor mamária. Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos, retrações ou um aspecto semelhante a casca de laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila. O câncer de mama não é exclusivo de mulheres, podendo mesmo sendo raro, se apresentar em homens. Calcula-se de 6 a 8 anos o período para que um nódulo atinja um centímetro de diâmetro. Esta lenta evolução possibilita a descoberta ainda cedo destas evoluções, se as mamas são periodicamente examinadas.

Diagnóstico da doença

As formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são: o exame clínico da mama e a mamografia. O exame clínico das mamas (ECM) quando realizado por um médico ou enfermeiro, pode detectar tumor de até um centímetro, se superficial. A sensibilidade do ECM varia de 57% a 83% em mulheres com idade entre 50 e 59 anos, e em torno de 71% nas que estão entre 40 e 49 anos. A especificidade varia de 88% a 96% em mulheres com idade entre 50 e 59 e entre 71% a 84% nas que estão entre 40 e 49 anos.

Recomendações para reduzir a mortalidade por câncer de mama

O Instituto Nacional do Câncer – INCA recomenda que:
1 – Toda mulher tenha amplo acesso à informação com base cientifica e de fácil compreensão sobre o câncer de mama;
2 – Toda mulher fique alerta para os primeiros sinais e sintomas de câncer de mama e procure avaliação médica;
3 – Toda mulher com nódulo palpável na mama e outras alterações suspeitas tenha direito a receber diagnóstico no prazo máximo de 60 dias;
4 – Toda mulher de 50 a 69 anos faça mamografia a cada dois anos;
5 – Todo serviço de mamografia participe de Programa de Qualidade em Mamografia. A qualificação, quando obtida, deve ser exibida em local visível às usuárias;
6 – Toda mulher saiba que o controle do peso e da ingestão de álcool, além da amamentação e da prática de atividades físicas, são formas de prevenir o câncer de mama;
7 – A terapia de reposição hormonal, quando indicada na pós-menopausa, seja feita sob rigoroso acompanhamento médico, pois aumenta o risco de câncer de mama.

Foto: Arquivo/Prefeitura

Comentários

Notícias relacionadas