Saúde discute implantação do Programa Saúde da Família no município

Profissionais da Secretaria de Saúde de Santa Bárbara d’Oeste se reuniram nesta quinta-feira (14) para discutir estratégias de implantação do PSF (Programa Saúde da Família) no município. Na ocasião o secretário de saúde, Dr. Dreison Luis Iatarola, recebeu o articulador da Atenção Básica, Dr. Érico Vasconcelos e a articuladora do Programa Mais Médicos, Mariana Fernandes, ambos do Ministério da Saúde, além da articuladora regional da Secretaria de Estado da Saúde, Marlene Rizzoli.

Dreison ressaltou que, com a implantação do sistema, a expectativa é que a população possa notar a melhoria e usufruir dos benefícios desta nova estratégia de saúde em Santa Bárbara d’Oeste. “Por se tratar de um projeto multiprofissional, é fundamental que tenhamos o apoio dos especialistas do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde para a adequada implantação do Programa de Saúde da Família (PSF) em nosso município. Com estas parcerias, poderemos estabelecer de maneira criteriosa e eficiente todos os passos necessários para o desenvolvimento e expansão do programa”, explicou.

A coordenadora do Planejamento Estratégico da Saúde, Lucimeire Rocha, destacou algumas ações que o município irá realizar para adequação ao Programa. “Iremos capacitar os profissionais que estarão inseridos nas equipes do PSF, divulgar gradativamente o Programa nos bairros onde será implantado, fortalecer os Conselhos Locais de Saúde para que auxiliem na adesão dos usuários ao Programa, além de outras ações e estratégias que definiremos nos próximos encontros”, explicou.

Foram discutidos aspectos para implantação do PSF em Santa Bárbara, como a territorialização, onde o município passará a ser divido em seis distritos de saúde. Esse novo formato foi redefinido recentemente pela Secretaria de Saúde em parceria com as Secretarias de Planejamento e de Promoção Social, para uniformizar e otimizar as ações da saúde.

O Programa de Saúde da Família é a estratégia definida pelo Ministério de Saúde (MS) para oferecer uma atenção básica mais resolutiva e humanizada no país. O Programa é operacionalizado mediante equipes compostas por um médico, um enfermeiro, dois auxiliares de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde (ACS), baseados em uma unidade básica de saúde (UBS). Cada equipe é responsável pelo acompanhamento de cerca de 1.000 famílias num território definido dentro da área de abrangência da Unidade Básica de Saúde a que pertence.

Assessoria de Imprensa

Comentários

Notícias relacionadas