Reunião discute ‘cardápio de aprendizagem’ para escolas sustentáveis


A Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) sediou, na manhã de hoje (28), uma importante reunião para discutir o “cardápio de aprendizagem”, que está sendo elaborado no Projeto CriAtividade e EA (Educação Ambiental), para a construção de escolas e sociedades sustentáveis, em Piracicaba (SP).

Participaram a presidente do IEMA (Instituto de Educação e Meio Ambiente), Ana Lúcia Maestrello; a educadora e consultora em EA, Simone Portugal; a colaboradora da Oca – Laboratório de Educação e Política Ambiental, Rachel Trovarelli; e a representante da Iandé, Karine Silva Faleiros. O projeto é realizado pelas três organizações mais o Programa Ponte, da Esalq-USP.

O professor da Unicamp, Sandro Tonso, foi lembrado por elas no encontro. Ele revela que a palavra “cardápio”, no contexto da Educação, não chegou agora. “Além, é claro, dos cardápios das cantinas, do cardápio semanal preparado pelas cozinheiras e por todos os outros usos que envolvem o cotidiano da alimentação nas escolas, pode-se encontrar expressão como ‘Cardápio de Projetos’, ‘Cardápio de Saber’, ‘Cardápio de Ideias’, sempre com o sentido explícito de listas de ‘projetos’, ‘saberes’ ou ‘ideias’ colocadas à disposição de alguém supostamente interessado nelas. Neste sentido, ‘Cardápio de Aprendizagem’ não se constitui num mistério e sua ideia básica pode ser apreendida facilmente por qualquer pessoa que já tenha ido ou observado um restaurante alguma vez na vida. É um elenco de atividades – “Itens de Cardápio” – que têm por objetivo proporcionar a formação, no caso, de Educadores Ambientais na sua região”, diz ele, no livro “Encontros e Caminhos: formação de educadores ambientais e coletivos educadores”.

Para Ana, as atividades socioambientais que vão constar nesse menu devem estar alinhadas ao conteúdo programático da Secretaria de Educação. “O ‘prato principal’ é a Educação Ambiental, que pode até virar disciplina obrigatória nas escolas, em breve”, reforçou a presidente do IEMA.

Simone concorda: “os itens [do cardápio de aprendizagem] devem ter relação com o conteúdo curricular dos alunos, caso contrário, não serão aplicados pelos professores. As escolas deveriam olhar para este cardápio como a luz pro seu PPP [Plano Político Pedagógico]”.

A próxima edição do CriAtividade e EA, que será realizada dia 8 de outubro no Sesc de Piracicaba, contará com oficina de cocriação de atividades de educação ambiental, ministrada por Ana Meira, da USP Recicla, e Cristiano Pastor, da Iandé. “O conteúdo do projeto estimula a reflexão crítica e o diálogo em oficinas com metodologias participativas, sobre: construção de escolas e sociedades sustentáveis, temáticas problematizadoras socioambientais  – como agroecologia e consumo -, potencialidade de atividades artísticas, participação social e autoconhecimento”, informa Rachel.

Inscrições e mais informações em: www.criatividadeea.wix.com/criatividade.

Assessoria IEMA

 

Comentários

Notícias relacionadas