Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Reações de vacina em bebês: saiba o que é normal e como proceder

É necessário seguir sempre o calendário de vacinas obrigatórias para que o bebê não desenvolva doenças. Dentro desse assunto, vamos abordar alguns sintomas que podem ocorrer e reações de vacinas em bebês. 

Irritabilidade, vermelhidão no local, coceira, sono, falta de apetite, dor no local, febre em um intervalo de 24h à 48h após a aplicação são consideradas reações comuns, podendo até ser administrado por ordem médica, o uso de antitérmicos antes mesmo da aplicação.

Dependendo do tipo de vacina, podem ocorrer casos em que o bebê sofre mais do que o normal, por isso a importância de estar sempre observando após serem vacinados.

Algumas dessas reações de vacinas em bebês são: vômito, erupções na pele, e até mesmo dificuldade para respirar, nesses casos é de extrema importância procurar um médico o mais rápido possível.

Cuidar de bebês demanda esforço

Enganado está quem pensa que ter um bebê é mil maravilhas como vemos na internet, como pais combinando suas peças de roupas de futebol com seus filhos, com por exemplo roupa do Palmeiras para bebê e roupa do Palmeiras para o papai, ou conseguir as mais lindas e maravilhosas fotos com seu filho. 

É impossível encontrar pais que não estão com sono atrasado, estressados ou extremamente cansados devido a maternidade e paternidade.

Por isso, antes de ter um filho, é preciso pensar sobre suas estruturas físicas e mentais antes!

Algumas reações de vacinas em bebês mais comuns

● BCG: deve tomar ao nascer, protegendo o bebê da tuberculose. A aplicação é realizada no braço e a reação ocorre no local da aplicação, podendo perdurar de uma semana a 2 meses após a aplicação.

Ocorrerá a formação de um nódulo avermelhado, que poderá até formar uma ferida, que logo será coberta por uma casca seca e se tornará uma cicatriz.

Esse é um ponto positivo que prova que a vacina fez efeito de forma correta, caso não ocorra, procure um pediatra imediatamente que apontará através de exames se o bebê precisará ou não tomar outra dose.

Os sintomas neste caso são: febre, mal-estar, podendo lavar a região com água e sabão neutro até a completa cicatrização.

● Hepatite B: também deve ser tomada no primeiro dia de vida do bebê, a aplicação geralmente ocorre na coxa, normalmente sem reações, apenas uma febre baixa e o bebê poderá ficar um pouco irritado e sensível.

 

Vale a pena lembrar que não se deve nunca medicar seu bebê, todo medicamento deve ser administrado com prescrição médica.

● Tríplice DPT: deve ser tomada quando o bebê completar 2,4 e 6 meses. Imunizante contra Difteria, Tétano e Coqueluche.

Há aparecimento de febre média no primeiro dia podendo surgir até o segundo dia. A aplicação é feita no bumbum, o uso de antitérmicos prescritos pelo pediatra ajuda bastante em qualquer desconforto que possa surgir, assim como banhos morninhos para ajudar na temperatura corpórea do bebê.

As nádegas podem ficar doloridas, inchadas, avermelhadas e endurecidas, onde podem ser feitas pequenas compressas de água quente para aliviar o desconforto e dor.

● Sabin: o bebê receberá essa dose ao completar 2 meses, protegendo-o contra a paralisia infantil. Por ser via oral, dificilmente irá provocar alguma reação alérgica no bebê.

● Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola): Aplicada em dose única, irá proteger o bebê contra o sarampo, caxumba e rubéola, e sua aplicação se dá quando o bebê completar um ano de idade.

As reações podem ocorrer de cinco a doze dias após a aplicação. Podem apresentar manchas vermelhas pelo corpo inteiro, que logo sumirão por completo. Pode-se administrar antitérmicos em caso de febre, mas com prescrição médica.

● Influenza: imuniza contra o vírus da gripe (H1N1, H3N2 e B), a aplicação deverá ser realizada em crianças entre 6 meses a 5 anos de idade.

Não causam reações por se tratar do vírus morto, o que não provocará gripe após a aplicação, apenas vermelhidão local.

Para evitar maiores desconfortos alguns pediatras já prescrevem antitérmicos antes das aplicações, mas geralmente os bebês ficam mais sonolentos e irritados após as vacinas, e até mesmo com o apetite abalado, mas que logo se normalizará.

Pode ocorrer que alguns bebês sejam alérgicos aos componentes das vacinas e assim podem apresentar coceira imediatamente após a aplicação, dificuldade para respirar e até mesmo sofrer um choque anafilático, tendo que ser socorrido urgentemente.

Percorre uma dúvida geral dos pais que acham que toda vacina para ser eficaz, deve gerar alguma reação, o que não é na verdade o esperado e correto, exceto a BCG que cria a casquinha e depois fica a cicatriz.

A vacinação é obrigatória, pois é através do ato de vacinar que se protege o bebê de epidemias, a não vacinação poderá ser denunciada ao Conselho Tutelar, onde os pais responderão judicialmente, pois se trata de um crime. 

O que achou deste artigo sobre reações de vacinas em bebês? Espero que tenha sido útil para sanar as suas dúvidas sobre esse assunto!