fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Quem é o contador do futuro e qual é o futuro da contabilidade?

Por Fernanda Rocha, fundadora e Co-CEO da Nucont

Um estudo realizado no final de 2018 pelo instituto Sapiens revelou que cinco profissões correm risco de extinção, e o contador está entre elas. Eu acredito mesmo que, no futuro, não vão existir mais contadores. Mas, calma, se você estuda contabilidade ou atua na área, não precisa se desesperar. O que eu vejo é que  o contador que conhecemos hoje, por conta de seus serviços burocráticos, é que não deve sobreviver à Nova Economia. Aquele que melhor se adaptar às mudanças, assim como foi na evolução humana, sobreviverá e dominará o mercado. Muitos dizem que qualidade não é mais um diferencial, mas sim uma obrigação. Então, você pode se adaptar e usar a tecnologia a seu favor, ou lutar contra e ser extinto.

Um cenário muito parecido já ocorreu há menos de 30 anos. Na década de 90, iniciou-se a revolução digital, e o mercado contábil não ficou de fora. Com a chegada dos microcomputadores nas empresas, começaram a surgir os softwares contábeis. As contabilidades que saíram na frente se destacaram. Ganharam mais produtividade, conseguindo contabilizar mais dados em menos tempo e melhoraram a qualidade de seu trabalho. E as que não se adaptaram a essa mudança, se não foram extintas, perderam seu espaço.

Precisamos olhar para o passado e fazer uma análise para entender exatamente como e o porquê o contador atual precisa se adequar para perpetuar como o contador do futuro. Para muitos, quem cuidava das finanças de uma empresa era um administrador e que Graduação Contábil era um curso para cuidar de notas fiscais, impostos e pagamentos de funcionários. Essa visão deturpada é um conceito gerado pelo modelo de serviço prestado pela maioria dos contadores de pequenas e médias empresas aqui no Brasil. Por isso, o estigma de mal necessário.

O contador que faz apenas as obrigações acessórias está praticamente gritando para todo o mundo dizendo: “eu sou o mal necessário, e você terá que conviver com isso!”  O profissional que apenas entrega guia e folha reforça essa imagem errada da classe, pois o seu cliente empresário vê apenas contas a pagar, porque o governo exige, inclusive a despesa dos honorários contábeis.

Para estes, tenho uma má notícia: a contabilidade online vai te substituir. É esse o profissional que está entre as cinco profissões a serem extintas nos próximos anos. Essa realidade que só tende a crescer. Pela falta de atenção e não se adaptando para solucionar as dores dos clientes, o contador deixou o caminho livre para sua própria extinção.  Ouvindo a insatisfação de milhares de empresários que sentem o peso dos honorários contábeis e os acham não condizentes com o serviço entregue, algumas startups utilizam tecnologia para automatizar processos e fazer o mesmo serviço com um custo baixíssimo, conseguindo suprir a dor latente do mercado de uma “contabilidade” mais barata.

Para os que querem sobreviver à extinção, também tenho uma notícia e ela é boa: Ainda dá tempo de se adaptar e evoluir. Não é, necessariamente, mudar a contabilidade, mas sim voltar às suas origens como contador, retomar aquilo que estudou. E é por isso que estou aqui falando sobre o futuro da contabilidade. Você pode se adaptar e dar um passo na linha evolutiva e levar sua empresa contábil para o mundo digital. Assim você poderá atender clientes do país todo por meio da internet utilizando softwares em nuvem de gestão. Eles te ajudam a automatizar parte do seu processo interno, dando produtividade aos seus colaboradores e reduzindo custos, podendo até triplicar o número de clientes que um analista contábil consegue atender. 

O foco da contabilidade antiga está nas obrigações acessórias para o governo, e é assim que a maioria das empresas contábeis consomem seu tempo. O contador do futuro, com a produtividade gerada pela automação dos processos internos da contabilidade, terá mais tempo, não apenas para olhar o cliente e se relacionar com os empresários para entender o que eles estão sentindo, mas para focar nele e aplicar de fato a ciência contábil e se tornar o médico das empresas. Ele prega a Contabilidade Consultiva e ajuda a traçar planos para a empresa atingir seus objetivos futuros. Tudo isso com ajuda de uma assistente virtual criado por meio da Inteligência Artificial. 

Com a velocidade no processamento de dados na geração de análises e insights, o contador do futuro ganha poder de escala. A tecnologia te dá nosso bem mais precioso, o tempo. Ele deixa de ser um digitador de dados e passa a ser um cientista de dados financeiros e contábeis. Um único contador conseguirá atender centenas de empresas e gerar muito mais valor do que o contador do passado, que mal consegue manter o contábil em dia de poucas empresas. Assim ele será capaz salvar mais empresas e ser conhecido como o profissional do futuro que é responsável pelo sucesso das empresas, do país e da economia mundial.

O mercado está dividido e você precisa escolher seu lado. De mal necessário para cientista da riqueza e médico das empresas. Do papel para a o computador e a inteligência artificial. Os contadores estão evoluindo. A contabilidade está evoluindo. Analisando as características de cada um, hoje, qual contador você é, passado, presente ou do futuro? O futuro está mais próximo do que você pode imaginar. 

Fernanda Rocha é empresária contábil, Fundadora e Co-CEO da Nucont e criadora do movimento Contabilidade Sem Chatice, onde compartilha todo seu conhecimento em palestras pelo Brasil inteiro.

Comentários