Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Qual a importância do capital humano em um negócio?

Se você já participou de uma entrevista de emprego que pedia uma vaga bem específica no quesito perfil profissional ou foi realizado porque entenderam que você você renderia mais em outro setor, é bem provável que já tenha se deparado com o capital humano.

 

Os diversos atributos adquiridos por  um colaborador após anos de experiência, educação e especialização são observados pelos líderes de diferentes empresas e utilizados de modo a influenciar diretamente nos resultados da empresa.

 

Uma empresa que enxerga e valoriza seus pontos positivos a ponto de integrá-los em diferentes ações com o objetivo de construir uma relação de crescimento mútuo, é a que valoriza o capital humano, que é extremamente importante em um negócio.

 

Para os amantes de produtos para maquina de cafe sabem como é difícil fazer essa escolha e como ela acaba influenciando diretamente no sabor final a ser consumido por nós ou por alguém que gostamos. 

 

Assim também ocorre com os sommeliers e amantes de cervejas artesanais. O cuidado com a escolha e como ela poderá agregar dentro da sua experiência com o produto, da mesma forma ocorre com as empresas no momento de escolher seus times.

 

No artigo de hoje, falaremos sobre a importância do capital humano para o seu negócio e como ele poderá agregar dentro das suas estratégias de gestão, recrutamento e valorização de peças que já vivem dentro da empresas, mas não são valorizadas.

Entendendo o termo capital humano

Esse termo foi criado em 1950 pelo economista Theodore W. Schultz após compartilhar seus estudos a respeito das evidências reais de pessoas que com seu talento e conhecimento conseguem gerar capital para a empresa.

 

Theodore, que futuramente ganharia em 1979 o Nobel de Economia, dizia: “Capital humano é a capacidade de conhecimentos, competências e atributos da personalidade de uma pessoa ao desempenhar um trabalho de modo a produzir valor econômico”.

 

Note que, nesse contexto, temos diferentes aspectos que uma única pessoa traz consigo e que pode agregar positivamente no valor econômico de uma empresa.

 

Um exemplo disso é uma empresa do ramo alimentício que não trabalha com um sistema de software para restaurante e por conta disso está atrasando a entrega dos trabalhos.

Dentro desse restaurante, existe um jovem que não cuida das demandas da cozinha, mas sim da parte administrativa. Ele é um universitário que está fazendo um estágio e nota a queda do negócio e decide investir.

 

Ao descobrir o motivo, o jovem deve se lembrar que na universidade teve aulas de programação e decide desenvolver o sistema para o restaurante, resolvendo a questão.

 

Note que somente nesse exemplo temos diferentes qualidades que foram agregadas dentro de um cenário de necessidade em que uma pessoa qualificada, pois conseguiu gerar capital através de suas ações, mas antes disso, o desejo de ajudar fez com ele se movesse.

 

Esse jovem que protagonizou nosso exemplo, detém qualidades excelentes como:

 

  • Proatividade;
  • Conhecimentos técnicos;
  • Liberdade para agir em situações difíceis;
  • Curiosidade e rápida adaptação a realidade.

 

É por conta desse tipo de caso que as empresas fazem questão de investir na gestão de pessoas. Hoje, as empresas que compreendem a importância de seus colaboradores, investem no desenvolvimento deles.

 

Consequentemente, o colaborador se sente empenhado em aplicar o novo aprendizado na empresa e posteriormente gerar capital para a mesma. É como fazer o aluguel de cama hospitalar valor acessível e posteriormente comprar a cama. 

Existe relação entre capital humano e RH?

Se você achou que o capital humano é de responsabilidade do setor de RH (Recursos Humanos), você estava correto. 

 

É claro que, quando esses assuntos são de competência desses profissionais que visam humanizar sempre as fábricas e empresas, criando uma cultura de negócios. 

 

O profissional de RH é o responsável pela avaliação do perfil dos novos colaboradores, e se entre todos os candidatos existe alguém que realmente se encaixa com a vaga que a empresa abriu e disponibilizou a todos. 


É totalmente diferente o perfil das entrevistas quando realizadas com o gestor da vaga e o profissional de RH, já que o último tem como objetivo compreender a pessoa e não somente as suas competências. 

 

Podemos dizer que eles estão realizando a escolha de mochilas personalizadas com rodinhas que melhor atendem as necessidades dentro daquele momento. Todos esses processos podem ser acelerados com a presença da tecnologia.

 

Quando se há mais espaço para pesquisa e menos para a burocracia, sobra tempo para a escolha e tomadas das melhores decisões perante as pessoas que deverão integrar a nova equipe ou realizar uma função diferente.

Criando o seu plano de capital de humano 

Se você estiver interessado em criar um modelo de sucesso na sua empresa investindo no capital humano para encontrar pessoas qualificadas que pensam parecido com você e desejam fazer a marca crescer, fique atento às próximas dicas.

Montar um plano de carreira

O primeiro passo é criar o chamado “Plano de Carreira”, assim as pessoas entram na empresa sabendo o que irão encontrar lá. Desse modo, o colaborador se sente valorizado e motivado a continuar se esforçando para crescer cada vez mais. 

 

As empresas conseguem enxergar cada vez mais as pessoas que estão empenhadas em entregar resultados e por mérito conseguir aquela profissão. A entrega de resultados, metas batidas e tempo de casa são exemplos disso.

 

Essas são maneiras simples de acabar com as panelinhas e reter os melhores talentos dentro da sua empresa, seja para realizar tarefas como alugar caçamba Zona Sul, ou para realizar os cálculos fiscais.

 

Existe um número de colaboradores que saem da empresa em busca de outras oportunidades ou conhecimento. De todo o modo, deixar o plano de carreira bem explicado é o caminho para um capital humano de qualidade. 

 

Em geral, investir em quem já é de casa é sempre melhor do que contratar alguém desconhecido e torcer para que ela resolva o problema. É preciso reconhecer os bons colaboradores dentro da empresa.

Bonificação 

Qualidade de trabalho é importante, mas não existe recompensa maior para uma pessoa que trabalha em um setor do que o reconhecimento ligado a bonificações. As pessoas precisam se motivar, e com salários baixos ou poucas recompensas, fica difícil.

 

A sensação é que o esforço não está valendo a pena, se não abre brechas para que os grandes talentos busquem por empresas que entregam isso a eles. Incentive os melhores e reconheça-os para preservá-los pelo maior tempo possível na sua marca.

Promova novos treinamentos 

Ninguém nasce sabendo de tudo, e mesmo alguém com pós-doutorado ainda tem o que aprender. Por isso, investir em treinamentos sempre será um dinheiro bem utilizado, já que os frutos semeados poderão ser colhidos em fartura.

 

Se você pesquisar na internet “diamante bruto”, verá que eles estão bem distantes de serem aqueles vendidos nas joalherias, mas saiba que o valor é praticamente o mesmo. 

 

As empresas estão cheias de diamantes brutos prontos para serem lapidados, basta abrir a janela em esquadria de alumínio para novas oportunidades, realizar treinamentos e investir na capacitação deles. 

Engajamento pela liderança

Independentemente do estilo de organograma que a sua empresa seguir, ou seja, a hierarquia que ela segue, por mais moderna e desligada de autoridades que ela seja, sempre haverá os líderes.

 

Liderar algo não está relacionado a autoridade, mas sim a respeito gerado pela inspiração. Se você quer gerar capitais humanos fortes, precisa de líderes fortes. 

 

Seja para realizar a coleta de resíduos classe 2, ou para realizar os serviços administrativos, é preciso eleger um líder para administrar as equipes que irão desenvolver as tarefas .

 

A liderança bem executada é capaz de engajar o colaborador que deseja ser igual a essas pessoas e consequentemente entregar mais resultados por ela. Todo o emocional dessas pessoas dentro do trabalho, que vai além do salário, depende de uma boa liderança.

 

A empresa precisa promover ambientes de socialização bons e adequados com o que a ela entrega, de modo a dar todas as ferramentas necessárias para que o indivíduo se destaque, gerando assim maior capital para a empresa. 

Considerações finais

Durante todo o artigo vimos a importância atrelada aos benefícios que o capital humano pode gerar para as empresas que decidirem investir nesse conceito de mais de 70 anos. É interessante pensar que ele foi criado em uma época bem distinta da que é vivida hoje.

 

Não existia internet, mas haviam muitas pessoas dispostas a trabalhar e entregar resultados. Os tempos eram incrivelmente mais difíceis a o medo de guerras ainda pairava no ar. 

 

Hoje o cenário é diferente, pois existe inclusão e oportunidades para conseguir um espaço em diferentes empresas, trabalhando até mesmo de casa para isso. O número de pessoas que trabalham sem conhecer seus chefes, por exemplo, é algo muito comum atualmente.

 

Uma simples venda de mudas ornamentais pode ser feita por qualquer pessoa baixando apenas um aplicativo, mas entre esses novos universos, existem pessoas que podem ser desenvolvidas para entregar resultados magníficos, ou seja, o capital humano.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.