“Programa de Apadrinhamento Afetivo” é lançado em S.Bárbara

Proporcionar às crianças e adolescentes assistidos pelo Acolhimento Institucional da ABE (Associação Beneficência e Educação) – Casa da Criança, convívio social e afetivo com padrinhos devidamente cadastrados e autorizados. Este é o objetivo do Programa de Apadrinhamento Afetivo, lançado na última sexta-feira (5), no Salão Nobre da Secretaria da Educação e regulamentado em portaria do Poder Judiciário.

O Programa de Apadrinhamento Afetivo permite às crianças a partir dos 8 anos de idade desfrutar de convívio social e atenção. As famílias interessadas nas modalidades afetivo, financeira e de prestação de serviço, podem se cadastrar na ABE – Casa da Crianças, localizada na Avenida dos Bandeirantes, 705, Vila Oliveira. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3499.1910.

A secretária de Promoção Social, Maria Cristina da Silva, lembra que o programa é uma das metas do Plano Municipal de Convivência Familiar e Comunitária da Criança e do Adolescente, instituído em 2014 e custeado pelo Município e Governo Federal. “Cumprimos o prazo com o apoio da sociedade civil, por meio dos Conselhos Municipais de Assistência Social e dos Direitos da Criança e do Adolescente e incentivo do Poder Judiciário e Ministério Público. Parabenizamos todos os envolvidos e temos certeza que este programa terá êxito na trajetória”, disse.

“É um avanço para a cidade. Nós ofertamos carinho de forma mais coletiva e o apadrinhamento permite um carinho de forma particular. A criança saber que tem um padrinho só dela permite que ela compartilhe seus anseios, dores e desafios. E têm muitos adultos querendo dar amor e não sabem como e essa é uma grande oportunidade para eles, um momento único”, disse Gil Arquimedes Cones, presidente da ABE (Associação Beneficência e Educação) – Casa da Criança.

A ABE – Casa da Criança tem convênio com a Prefeitura para manter o abrigo familiar, república e acolhimento para crianças e adolescentes e serviço de convivência.

Comentários

Notícias relacionadas