24Horas Piracicaba 

PJ-MAIS de Tupi: voluntários descobrem oportunidade por meio da imprensa


Núcleo de formação ecoprofissional ganha colaboradores do distrito piracicabano via mídia espontânea

 

Popularmente conhecida como o “4º poder”, a mídia provou sua capacidade de influência na sociedade ao recrutar voluntários para o Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social (PJ-MAIS) de Tupi (Piracicaba, SP). “Curioso é que são moradores do próprio bairro. O natural seria se informarem por meio da comunidade, antes, mas essa mídia espontânea veio em boa hora, pois, no exato momento em que apresentávamos as oficinas, aparecem um técnico em Agroecologia e uma musicista dispostos a nos ajudar”, disse a educadora e membro da organização do projeto, Ana Lúcia Maestrello.

Com pouco mais de 4 mil habitantes, a comunidade local já tem encontro marcado com o grupo gestor do PJ-MAIS/Tupi para 17 de agosto. Ontem (2), reunida no Núcleo de Educação Ambiental (NEA), a Comissão de Elaboração do Projeto discutiu as atividades que nortearão o diálogo com os alunos da Escola Estadual Pedro de Mello, que será realizado em 12/08, na instituição de ensino.

“O aluno do Ensino Médio público-alvo do PJ-MAIS precisa de aulas práticas, e as oficinas propiciam isso. Ele não quer só teoria – embora necessária -, e a aula prática é que faz com que despertem nele o interesse, as habilidades e o conhecimento necessários para um futuro profissional em qualquer área. Sendo assim, o projeto vem contribuir demais com a nossa comunidade e espero que ele se estenda a outros bairros”, afirmou a visitante/voluntária Miriam Bueno Amorim, licenciada em Música.

Após a reunião, ela ressaltou a importância da divulgação de boas ações através da imprensa, o que pode contribuir com a replicabilidade delas. “Hoje, somos bombardeados por péssimas notícias e, como eu estava à procura de projetos em que pudesse colaborar nas áreas artística e ecológica, me dei de cara com a matéria falando a respeito do PJ-MAIS, que estava acontecendo no meu bairro e eu não sabia. Então, foi uma grata surpresa achar essa notícia, que, para mim, foi perfeita, pela forma como foi abordada, em detalhes, o que a gente não costuma achar na mídia”, enfatizou a professora.

Seu companheiro, Márcio Robson Semensato, comentou sobre a possibilidade de ministrar oficinas: “dentro da Agrocoelogia, há varias áreas que posso contribuir com o morador local, até em sua própria residência, e, como também sou ourives, posso trabalhar com biojoias – feitas a partir de sementes e pedaços de madeira -, para chamar ainda mais a atenção do público feminino. E, assim como a Miriam, quero destacar a importância da imprensa para atrair mais colaboradores para o projeto, como a gente”.

“A Comunicação, nesse projeto, é fundamental, porque ela agrega as diferentes camadas sociais. Apesar do PJ-MAIS envolver, a princípio, uma escola, ele também impacta o bairro e a cidade, como um todo, então, para que isso aconteça, a comunicação será o elo entre todas essas camadas. A mídia espontânea também é essencial para atingir diferentes públicos, inserindo-os nesse processo educativo”, destacou a comunicadora social Carmem Blanco, outra representante da equipe organizadora.

A construção coletiva do núcleo do programa na Estação Experimental de Tupi está sendo coordenado pelos institutos Florestal (IF) e Auá, em parceria com representantes do poder público, privado, terceiro setor e da sociedade civil da região, que objetivam contribuir com a formação integral de jovens, com ênfase na educação ecoprofissional, visando à transição para sociedades sustentáveis e o desenvolvimento comunitário. A Maestrello Consultoria Linguística está colaborando nas áreas de Empreendedorismo, Literatura/Linguística e Comunicação para a sustentabilidade.

 

 

Assessoria de imprensa: Juan Piva

Comentários

Leia também...