Nova Odessa: Instituto reforça a importância da educação na luta contra mosquito

Convidado para participar da mobilização novaodessense contra o mosquito aedes aegypti – transmissor da dengue e da chikungunya -, o Instituto de Educação e Meio Ambiente (IEMA) contribuiu com ideias para aumentar a participação dos munícipes, através da responsabilidade educacional.
Na última terça-feira (24), a presidente da organização socioambiental, Ana Lúcia Maestrello de Micheli, reuniu-se com a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Nova Odessa (SP), Andréa Souza, e com diretor de Promoção Social, João Roberto Grahl, para expor seu ponto de vista. “Acreditamos que, juntamente com a mobilização nos bairros, um trabalho especial deve ser feito nas escolas, para que as crianças e jovens sejam os primeiros a fiscalizarem suas casas”, afirmou Ana Lúcia, na ocasião.
Andréa e Grahl concordaram com a opinião da presidente do IEMA e disseram que iriam envolver a Secretaria de Educação na campanha.
Ontem (25), diretores de associações de bairros e de entidades da cidade, além de líderes religiosos participaram de um encontro, realizado no auditório da Prefeitura, que buscou formar agentes multiplicadores para orientar a população e ajudar a combater as doenças.
“O problema tomou uma dimensão que, sozinhos, não vamos dar conta. Vocês [o público presente] são influências positivas em suas comunidades. Unindo forças, podemos vencer esta guerra”, comentou o diretor de Promoção Social.
A presidente do IEMA também marcou presença no encontro de ontem e ficou contente com as iniciativas voltadas à educação que foram divulgadas para as escolas: palestras, atividades teóricas e práticas, além de peças teatrais serão realizadas para conscientizar os estudantes. “Quanto mais cedo formos orientados, maiores as chances de mobilização”, concluiu Ana Lúcia.

Comentários

Notícias relacionadas