RMC 

Mulheres ocupam 64% dos novos postos de trabalho na RMC

Salário médio, no entanto, é 20% menor do que o pago aos homens admitidos

Dos 2.520 novos postos de trabalho registrados na Região Metropolitana de Campinas (RMC) em agosto, 1614 – o equivalente a 64% – foram ocupados por mulheres. A análise, realizada pelo Observatório PUC-Campinas com base nos dados do Caged, mostra, no entanto, que o salário médio de R$ 1.542,99 representa cerca de 80% do que se paga aos homens admitidos. (VEJA ESTUDO COMPLETO AQUI)

Para a economista Eliane Navarro Rosandiski, responsável pelo estudo, a principal justificativa para o fenômeno é a remuneração mais baixa às mulheres. “Embora o saldo de emprego tenha sido apenas 1/3 para homens, eles ocupam os melhores cargos, por isso o salário médio é 20% maior. Outra explicação é que muitas vagas foram criadas em cargos geralmente preenchidos por mulheres, como serviços de alojamento, alimentação etc.”, concluiu.

O balanço geral do relatório, que inclui as vagas preenchidas por homens e mulheres, revela que a cidade de Campinas obteve o melhor desempenho da RMC com a criação de 874 novos postos, seguida por Vinhedo (406) e Indaiatuba (324). Pouco mais de 87% dos cargos foram ocupados por jovens entre 18 e 24 anos.

Por setor de atividade, destaque para serviços, que gerou 2.033 novas vagas, e também para o comércio, que abriu 769 postos de trabalho. A indústria de transformação, por sua vez, teve saldo negativo de 234 vagas, puxado por demissões nos segmentos têxtil e vestuário, de material elétrico e de transportes. “Essa é uma situação que preocupa, porque a indústria, em geral, apresenta os melhores níveis de remuneração”, avaliou a docente.

Departamento de Comunicação da PUC-Campinas

Comentários

Leia também...