Mercadante diz que protestos durante pronunciamento são próprios da democracia

Manifestações contrárias ao governo são próprias da democracia e um direito do cidadão.

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, disse hoje (9) que são próprias da democracia e um direito do cidadão as manifestações contrárias ao governo, durante o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e televisão. Segundo o ministro, é preciso reconhecer o resultado das urnas e construir uma cultura de diálogo.

Na noite de ontem (8), enquanto Dilma falava, para todo o país, sobre o Dia da Mulher foram registrados panelaços e buzinaços em algumas cidades brasileiras em protesto contra o governo. No pronunciamento, Dilma defendeu as medidas econômicas adotadas com o objetivo de viabilizar o crescimento do país.

Mercadante destacou que as manifestações ocorreram, sobretudo, em cidades e bairros onde o PT teve derrota significativa nas urnas.

“As manifestações são próprias da democracia. Toda manifestação pacífica é um direito do cidadão, mas não podemos transformar as eleições num terceiro turno e precisamos construir uma cultura de diálogo, de debate, e não de intolerância, de intransigência”, destacou.

Ele ressaltou que, no Brasil, a eleição no país é feita em apenas dois turnos. “A eleição acaba quando alguém vence e nós vencemos as eleições, assim com perdemos no passado várias eleições e tivemos que reconhecer.”

Para Mercadante, o diálogo e a tolerância são importantes para criar uma agenda de convergência que ajude para o país superar as dificuldades conjunturais e, assim, assegurar a estabilidade economia e a recuperação do crescimento econômico.

 

Fonte: Agência Brasil

Foto: wikipedia

Comentários

Notícias relacionadas