Piracicaba 

Lair Braga cobra força-tarefa para coibir proliferação de escorpião em Piracicaba

Vereador também sugere parceria para converter penas por crimes de menor poder ofensivo em serviços comunitários, como poda de mato

O vereador Lair Braga (SD) cobra uma força-tarefa organizada pela Prefeitura de Piracicaba para coibir a proliferação de escorpiões no município. No início da tarde desta sexta-feira (18), o parlamentar ligou no programa Comentaristas, da Rádio Educadora, para responder a demandas da população que está sofrendo com o problema e não tem conseguido resolver quando entra em contato com a Administração. 

“Eu tenho feito tudo ao meu alcance para levar este problema ao poder público, mas agora depende da Prefeitura”, disse o parlamentar. Lair avalia como “legítima” a angústia da população em torno do assunto, especialmente quando se trata da falta de poda de mato alto. “Já recebemos denúncia em que a situação é tão crítica que em um terreno foi realizado desmanche de uma moto, encoberto pelo mato alto”, disse. 

Lair Braga analisa, ainda, que o problema está proliferado em diversas regiões da cidade. No contato com a Rádio Educadora, ele citou casos nos bairros Morumbi, Nhô Quim, Vila Rezende e Mário Dedini. “Procede a indignação do público, estamos cansados de levar os casos até a Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) e alertar sobre a invasão de escorpiões na cidade”, acrescentou. 

Em reunião com representantes da Prefeitura, o vereador também sugere que uma parceria com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) para que as penas devido a crimes de menor poder ofensivo sejam convertidas em trabalho comunitário, especialmente na poda de mato, o que tem motivado ambiente propício à aparição não apenas de escorpiões, mas de outros animais peçonhentos. 

“Isso não custaria nada ao Município e, pelas minhas informações, poderíamos ter em torno de 30 pessoas voltadas a este trabalho que contribuiria para este trabalho”, disse, ao lembrar que os apenas poderiam trabalhar na limpeza de terrenos de escolas, de áreas verdes, cemitério, entre outros espaços em que se concentram animais peçonhentos. 

No ano passado, o parlamentar ocupou a tribuna da Câmara para demonstrar a preocupação com os escorpiões. “Há uma grita geral. É necessário que o Centro de Controle de Zoonoses faça uma varredura e passe a fiscalizar com rigor os acumuladores que existem em Piracicaba”, disse. Na ocasião, ele apontou casos que conhece na rua São José, na Vila Monteiro e na Rua do Porto. 

Informação divulgada pela imprensa apontou que o número de pessoas picadas por escorpiões atendidas na Santa Casa havia aumentado em 62,6% entre janeiro a outubro de 2018, no comparativo com o mesmo período do ano anterior. Haviam sido registradas 135 vítimas até então. 

“Pela situação que estamos vivenciando, também tenho cobrado da Prefeitura que o soro anti-escorpiônico seja disponibilizado nos prontos-socorros e não apenas na Santa Casa, como é feito atualmente”, concluiu o parlamentar.

SINTOMAS – De acordo com o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), a picada por escorpião leva à dor no local, de início imediato e intensidade variável, com boa evolução na maioria dos casos. No entanto, crianças podem apresentar manifestações graves, como náuseas e vômitos, alteração da pressão sanguínea, agitação e falta de ar. 

Em caso de incidente é necessário procurar o pronto-socorro, para o bloqueio anestésico, já que o atendimento é de urgência. O paciente fica em observação e, em caso de desenvolver sintomas mais graves, que exija a aplicação do soro anti-escorpiônico ou outro medicamento, deve ser encaminhado à Santa Casa.

Comentários

Leia também...