Juros e Inflação em queda: O que o investidor deve fazer?

“É imprescindível que o investidor não compre investimentos sem conhecer os riscos e não caia em ofertas de bancos e corretoras sem ciência do risco a que está exposto”, afirma André Bona, Educador financeiro do Blog de Valor

movimentos da taxa básica de juros, a Selic, afetam o desempenho dos investimentos. E como existem investimentos que se beneficiam da alta dos juros, também existem os que brilham mais quando a taxa está em queda. Antes de tudo, o investidor precisa ter em mente que a queda dos juros ocorre por conta da queda da inflação, que também está ocorrendo. Dessa forma, é importante notar que não necessariamente o juros real (juros acima da inflação) está ainda em queda, ou, ao menos, não em queda significativa ainda. Portanto, apesar da porcentagem anual menor, o ganho real, acima da inflação, continua atraente.

André Bona, Educador financeiro do Blog de Valor, cita duas alternativas para manter o nível de rentabilidade nominal, antes da queda do juros.

1          – Neste momento, opte por investimentos prefixados, onde apesar da queda dos juros, os investimentos contratados mantêm as taxas acordadas no início.

2          – Aumente o nível de risco dos investimentos, buscando um pouco mais de exposição em multimercados ou renda variável. Mas, é imprescindível que o investidor não compre investimentos sem conhecer exatamente os riscos associados e não caia em ofertas oferecidas por bancos e corretoras sem completa ciência do risco a que está exposto. É preciso compreender que essas opções possuem mais risco e isso significa que o retorno pode ser maior, como pode não ser e, inclusive, pode acarretar um prejuízo.

Também é importante ressaltar que a escolha dos investimentos deverá ser baseada em necessidades individuais para cada investidor. Os investimentos prefixados normalmente são investimentos para médio prazo, algo entre dois e cinco anos. “Investimentos com risco são adequados para longo prazo, e estamos falando de cinco anos pra cima. Portanto, se o investidor possui a necessidade de um capital para ficar disponível para necessidades imediatas ou consumos que pretende realizar no curto prazo, mesmo que a rentabilidade dos investimentos pós-fixados atrelados à Selic e ao CDI, percam um pouco da atratividade. E eles são os adequados para essa necessidade, pois não expõe o investidor a riscos de oscilações e não exigem que o capital fique travado por um prazo maior do que sua necessidade exija”, comenta o Educador financeiro.

Existe um investimento que não é bom para o investidor, aquele que não se enquadra no planejamento pessoal de cada um. “Às vezes um investidor pode escolher um investimento com rentabilidade melhor que outro, porém, que não tenha liquidez. Além de numa necessidade urgente, o investidor pode precisar do dinheiro e não ter como resgatar”, ressalta Bona. Portanto, um bom investimento é aquele que leva o investidor ao alcance de suas necessidades, já o investimento ruim é aquele que não ajuda nesse processo, ao contrário, só piora.

André Bona conta que a melhor forma de tomar a decisão de investimentos, é fazer a escolha de acordo com o planejamento financeiro pessoal de cada um. Então, é preciso relacionar os objetivos que deseja e assim, escolher os produtos adequados aos prazos de cada projeto. “Investimentos não são meios pelos quais as pessoas alcançam objetivos reais em suas vidas, entre eles a compra de um carro, um imóvel, cursos no exterior, aposentadoria, educação dos filhos e outros”, conclui Bona.

Sobre André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a melhorar a rentabilidade de seus ativos. Durante anos, foi sócio da Valor Investimentos, uma das maiores empresas de assessoria de investimentos no país.

Atualmente, como um dos educadores financeiros mais conhecidos do país, possui mais de 60 mil inscritos no seu canal no youtube. É criador do método “O Investimento Perfeito”, cuja filosofia e diferencial constam no fato de que as decisões de investimento são tomadas em função de projetos pessoais de cada um.

Sobre o Blog de Valor

Criado em 2011 com a iniciativa de André Bona, o Blog de Valor, tem como missão contribuir para que as decisões financeiras de seus leitores se tornem cada vez mais conscientes, trazendo melhor qualidade de vida financeira através de uma linguagem simples e direta.

Em 2012 iniciou o canal de vídeos na internet e em 2015 foi convidado para participar do programa de desenvolvimento do Youtube, com executivos da sede da empresa no Califórnia – USA. A sua produção educacional tem sempre como finalidade auxiliar pessoas e famílias a compreender melhor o mercado financeiro, por meio de conteúdos de fácil linguagem. Hoje seu canal possui mais de 66 mil inscritos, sua página no Facebook recebeu mais de 60 mil curtidas. Além disso, outros 50 mil leitores recebem newsletter do blog por e-mail semanalmente.

Comentários

Notícias relacionadas