Indaiatuba: : Pró-Memória é escolhida para receber fórum de discussão do Instituto Brasileiro de Museus

Fundação apóia políticas públicas a respeito da cultura imaterial e é reconhecida por órgão federal

 

A Fundação Pró-Memória, por meio do Museu Casarão Pau Preto, foi escolhida para sediar o fórum de discussão Gestão Compartilhada e Participativa do Programa Pontos de Memória. O evento acontece no próximo sábado (11), a partir das 9h, e é uma realização da Rede São Paulo Memória e Museologia Social e Ibram (Instituto Brasileiro de Museus). “Estamos apoiando diversas discussões a respeito de Políticas Públicas a favor da preservação do Patrimônio Cultural e por isso fomos indicados para o evento”, comenta o superintendente da Fundação Pró-Memória, Carlos Gustavo Nóbrega de Jesus.

PALESTRA

A Fundação Pró-Memória recebeu na última quinta-feira (1º) o cientista político Marcelo Manzatti, que é gerente administrativo da Famaliá Produções LTDA, empresa de Consultoria Cultural de Brasília e que é responsável pelo projeto de lei que está tramitando no Congresso Nacional a respeito da “Leis dos Mestres”. O projeto de Lei 1.176/2011 institui o Programa de Proteção e Promoção dos Mestres e Mestras dos Saberes e Fazeres das Culturas Populares.

Segundo Gustavo, tais palestras fazem parte de um dos objetivos da instituição que é trazer para Indaiatuba discussões a respeito de Políticas Públicas para Preservação do Patrimônio Cultural, nesse caso imaterial, ou seja, práticas culturais que se não forem apoiadas e incentivadas irão cair no esquecimento e deixarão de existir. “Marcelo, que há muito tempo luta a favor da proteção e fomento à transmissão dos saberes e fazeres de tradição oral, desempenhando relevante papel no Fórum Permanente para as Culturas populares do qual já foi Presidente e na Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural (SCDC) do Ministério da Cultura, da qual foi Coordenador”, revela.

Gustavo afirma que essa é uma preocupação nova e que ainda está sendo discutida. “Mas a Fundação não pode deixar de estar a frente, pois é essencial para divulgação e preservação da história e cultura local”, comenta. Ele cita que em Indaiatuba o Jongo e a Folia de Reis são duas práticas que se encaixariam em tal proposta e merecem o devido incentivo.

O evento, que teve a parceria do Grupo de Jongo Filhos da Semente, também contou com a apresentação da Cia Folia de Reis São Francisco de Assis composta de 17 integrantes e foi fundada no ano de 1987 pelo folião Pedro Moreira de Sousa, o Goiano, a pedido do Padre Piaza, da comunidade São Francisco de Assis, localizada no bairro Cecap I.

 

 

 

 

Foto: Laís Fernandes

Comentários

Notícias relacionadas