Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Dicas para não ter medo de entrar em um consórcio imobiliário

Entrar em um consórcio imobiliário é uma decisão que não deve ser tomada de um dia para outro. Saiba aqui o que considerar e anote dicas para não ter medo de contratar um consórcio!

Muitos brasileiros se perguntam sobre se devem ou não investir em um consórcio imobiliário. As dúvidas giram em torno de diferentes questionamentos, como o valor em posse para adquirir o bem, financiamento e tempo de espera.

Especialistas indicam sempre se perguntar sobre a urgência em se adquirir um imóvel, verba para a documentação e entrada, entre outras questões. É válido considerar os juros de um financiamento, bem como na burocracia para se obter.

Porém, não se pode desconsiderar o tempo para se obter a casa tão desejada. Por esses e outros motivos, as pessoas costumam ter medo de entrar em um consórcio imobiliário. Veja aqui dicas que podem contribuir com essa decisão!

 

Como não ter medo de entrar em um consórcio imobiliário

Consórcio imobiliário é uma opção bastante interessante para quem deseja ter uma casa, mas não dispõe de condições para pagamentos à vista. Para quem não tem pressa, essa é uma forma segura de investimento no imóvel.

Além disso, as prestações são mais baixas, a modalidade não possui juros e nem a burocracia dos bancos. Ainda assim, muitas pessoas ficam com medo de entrar em um consórcio imobiliário.

Porém, essa modalidade é como um planejamento a longo prazo para aquisição de um bem. Saiba como fazer uma contratação segura!

  1. Avalie suas finanças

Antes de contratar um consórcio para aquisição de um imóvel, atente-se em avaliar as suas finanças. Assim, você terá certeza de que irá conseguir honrar com seu compromisso e pagar as parcelas em dia. Lembre-se de que, embora o valor mais alto das parcelas contribua com menor tempo de pagamento, você não deve comprometer seu orçamento.

  1. Conheça a empresa

Esse passo é essencial, ou seja, conhecer bem a empresa com que você irá contratar o consórcio imobiliário. Certifique-se de que a administradora do consórcio possui registro no Banco Central do Brasil. Outro ponto importante é verificar as reclamações sobre a empresa em sites especializados, como Procon e outros. Assim, você evita cair em fraudes.

  1. Considere os reajustes

Não foque apenas no valor das parcelas apresentados na simulação do consórcio imobiliário. Embora essa modalidade não tenha juros, o consorciado deve arcar com acréscimo. Ou seja, a carta de crédito é reajustada para não perder valor de mercado e esse reajuste ocorre anualmente, conforme o INCC. Sendo assim, as parcelas sofrerão acréscimos de valor. Mas fique tranquilo! O valor ainda é menor do que os demais juros cobrados em outras modalidades.

 

  1. Avalie as cláusulas contratuais

Não feche negócio com a administradora antes de ler, atentamente, todas as cláusulas contratuais. É importante tirar todas as suas dúvidas antes de assinar, inclusive, sobre os reajustes, prazo, multas (em caso de atraso no pagamento) e demais regras. Atente-se aos dados da empresa no contrato, como CNPJ e endereço.

Outro ponto importante no contrato são as formas de contemplação, se lance ou sorteio. Verifique, nesse item, a validade em contrato e todos os detalhes. Deve estar em contrato também os tipos de pagamento, se com recursos do participante ou descontando do valor da carta de crédito.

Além disso, não deixe de observar questões relacionadas a inadimplência e descrição do bem, assim como do serviço prestado.

Observando com atenção esses pontos, você não precisa ter medo de entrar em um consórcio imobiliário. Dessa forma, poderá investir nessa modalidade para realizar o sonho da casa própria.

Por: Andreia Silveira, colaboradora do site Consorcio.org.

 

Comentários