Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Conheça um novo benefício corporativo oferecido pelas empresas: o No Dress Code

Liberdade e autonomia na hora de se vestir para trabalhar tem se tornado cada vez mais uma realidade em várias empresas pelo mundo.

Benefícios corporativos são essenciais em uma empresa, pois garantem uma melhor qualidade de vida de seus colaboradores e ajudam a reter talentos, além de atrair bons profissionais do mercado.

 

E alguns desses benefícios já são velhos conhecidos como:

  • Vale alimentação;
  • Cursos e treinamentos,
  • Assistência de saúde e odontológica,
  • Previdência com plano instituído, entre outros.

 

No entanto, existe um benefício cuja popularidade apesar de ser um pouco mais recente, já caiu nas graças dos colaboradores, de muitas Startups e até mesmo de grandes organizações mais tradicionais: o No Dress Code.

 

Para saber melhor como funciona esse benefício, você precisa estar por dentro do conceito de Dress Code e de como ele é inserido no ambiente de trabalho, e vale a pena entender também por que ele está cada vez mais sendo flexibilizado. Acompanhe esse artigo até o final e boa leitura.

O que é Dress Code?

Dress Code é um código de vestimenta que determina qual o estilo de roupa deve ser usado em diferentes ocasiões e lugares – como eventos sociais e ambientes corporativos.

 

O motivo de sua origem, no entanto, não tem nada de admirável. Não se sabe ao certo quando o termo foi criado, mas o código de vestimenta surgiu, basicamente, para diferenciar os nobres dos plebeus.

 

Essa diferenciação não era feita somente pelos modelos ou tipos de tecidos usados, a cor também era um indicativo de pertencimento a determinadas classes sociais.

 

A cor púrpura, por exemplo, era exclusividade da realeza e ninguém além de reis, rainhas, imperadores e líderes do alto clero podiam usar. Em 1952, a Rainha Elizabeth II foi coroada usando um manto e uma coroa feitos de veludo roxo.

 

Um outro exemplo de código de vestimenta usado para diferenciar as pessoas, só que em relação ao trabalho, se deu com o surgimento da gravata. Ela surgiu nos EUA para diferenciar os trabalhadores conhecidos como “colarinho branco”, executivos de forma geral, dos trabalhadores conhecidos como “colarinho azul” que realizam trabalhos manuais ou braçais.

 

Nos dias de hoje, a função do Dress Code é criar conformidade e harmonia nas vestimentas das pessoas que dividem o mesmo espaço, impedir o uso de roupas inadequadas ou até mesmo criar um padrão, como acontece com o uso de uniformes.

Dress Code no ambiente de trabalho

Cada empresa pode reservar o direito de estipular como será o código de vestimenta dos seus funcionários, deixando isso claro desde o momento da contratação.

 

No ambiente de trabalho, o Dress Code pode ser adotado por vários motivos, entre eles:

 

  • Facilitar a identificação dos colaboradores e reforçar a imagem da empresa com o uso de uniformes;.

 

  • Garantir segurança para pessoas que trabalham em profissões de risco com o uso de roupas e acessórios de proteção;

 

  • Passar uma imagem de tradição e conservadorismo com o uso de roupas mais formais;

 

  • Garantir mais conforto para os colaboradores com o uso de roupas mais casuais;

 

Cada organização adota o código de vestimenta que corresponde às características que ela julga importante e, apesar de não ter a ver com preconceito ou descriminação, para algumas pessoas essa determinação funciona como uma limitação à sua expressão individual.

A flexibilização do Dress Code no ambiente de trabalho

Apesar de parecer algo simples, a imagem de um ambiente de trabalho mais descontraído tem um grande valor e, cada vez mais, o salto alto e a gravata abrem espaço para o tênis e a camiseta nos ambientes corporativos.

 

A fim de promover um ambiente de trabalho mais autêntico, muitas empresas começaram a repensar o seu código de vestimenta.

 

Mas, a construção de uma identidade visual diferenciada não é o único motivo para a flexibilização do Dress Code, o conforto também é o ponto alto dessa tendência.

 

Essa mudança é impulsionada principalmente por duas razões: a entrada de novas gerações no mercado de trabalho com demandas diferentes e a produtividade aumentada pelo conforto dos colaboradores.

 

Essa flexibilidade no código de vestimenta nas organizações também ajuda na aproximação de colaboradores e superiores no ambiente de trabalho.

No Dress Code como benefício corporativo

Logo acima, falamos sobre a flexibilização do código de vestimenta que vem sendo adotado cada vez mais por empresas de todos os tipos, com estilos menos informais, mas que ainda assim precisam seguir alguns critérios dependendo de cada organização.

 

Mas imagine poder trabalhar vestido exatamente como quiser? Obviamente, respeitando os limites do bom senso, mas com total liberdade para adotar seu próprio estilo.

 

Pois isso já é uma realidade oferecida como forma de benefício corporativo por algumas empresas e se chama No Dress Code – que em tradução literal significa “sem código de vestimenta”.

 

Muito usado em Startups, o No Dress Code é um benefício inovador, que além de não possuir custos adicionais para as empresas, promove um ambiente descontraído e inovador, e também ajuda na atração e retenção de talentos que procuram mais liberdade.

 

Esse benefício reflete o desprendimento com regras e condutas que dificilmente sobrevivem no mundo de hoje. Reflete também a evolução das relações de trabalho e do mercado, principalmente com a entrada da “geração Y”.

 

É também uma prova de confiança no bom senso dos funcionários e, ao fortalecer essa autonomia, a empresa empodera seus colaboradores.

 

O No Dress Code também exerce um papel importante na promoção da diversidade dentro de um ambiente corporativo, ao permitir que todos expressem suas individualidades e reforcem sua identidade com base em suas preferências.