fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Como tornar seu estudo à distância mais produtivo?

A pandemia da Covid-19 fez com que muitas instituições de educação tivessem que adaptar a sua rotina para o estudo à distância. Essa medida vai de encontro às recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde), que retifica o isolamento social como a melhor maneira de conter o avanço da doença.

 

No entanto, muitas escolas sentem o desafio de implementar o EAD (educação a distância), de maneira disruptiva, em muitos casos, sem a preparação de professores e alunos para o uso das novas tecnologias de informação e comunicação (TICs).

 

Ao lado de tudo isso, há uma grande dificuldade em manter a concentração, principalmente das crianças mais novas, ao mesmo tempo em que os pais também estão trabalhando em casa. 

 

Ou seja, o estudo à distância durante a pandemia esbarra em vários problemas, ainda mais para as organizações que não estavam preparadas para a modalidade.

 

Além disso, uma pesquisa aponta que 58% dos domicílios brasileiros não têm acesso a computadores e 33% não dispõem de internet, com muito mais frequência nas classes mais baixas. Em áreas rurais, nem mesmo as escolas têm disponibilidade de rede.

 

Diante desse cenário, o mundo está se readaptando para oferecer oportunidades de aprendizagem às crianças e jovens, em um trabalho mútuo entre educadores, pais, governos e sociedade civil.

 

Afinal de contas, é importante pensar sobre o grau de independência dos estudantes no acompanhamento de plataformas virtuais, bem como em atividades que ajudam a complementar a educação, seja ela para qualquer tipo de ensino.

 

Para quem nunca estudou em EAD, é preciso buscar alternativas para tornar seu estudo à distância mais produtivo, como forma de aproveitar os recursos, materiais e aulas. 

 

Isso vale para todos: tanto para crianças quanto para adultos, que tiveram que adaptar seus cursos, como o de paisagismo contemporâneo e disciplinas de faculdade para o EAD.

 

No artigo de hoje, conheça algumas dicas para melhorar sua produtividade no ensino à distância em períodos de pandemia do novo coronavírus. Continue lendo!

1 – Não pense que o EAD é mais fácil

Muitas pessoas acham que só porque não estão em uma sala de aula presencial, o ensino será mais fácil. Essa subestimação do curso pode afetar a produtividade, pois não se dedicam o suficiente, o que acaba prejudicando a qualidade do aprendizado.

 

Ao contrário disso, estudar a distância exige tanto comprometimento quanto assiduidade às aulas presenciais. 

 

Pense por um momento: se uma empresa presta serviços de contabilidade online quer dizer que ela é menos responsável do que um empreendimento que só atende in loco? Com certeza não! A mesma situação é válida para as instituições de ensino.

 

Assim, se por um lado o aluno não precisa sair de casa para frequentar às aulas, por outro é necessário ter atenção redobrada às disciplinas, conferindo todo o material e verificando o cumprimento de prazos.

 

No caso de crianças e adolescentes, as escolas promovem o atendimento online aos alunos e também enviam tarefas de casa, que devem ser feitas como complementação à apresentação virtual.

 

Por isso, a falta de comprometimento pode não só influenciar a produtividade, mas ter consequências graves, como a reprovação do aluno.

2 – Organize a sua rotina

A organização é fundamental para aproveitar ao máximo do ensino à distância. Por isso, o primeiro passo é adequar a sua rotina com os estudos, com um cronograma de todas as horas dedicadas aos estudos.

 

Nas empresas, o gerenciamento de atividades é tão importante que existe até profissionais especializados em consultoria organizacional. Para quem trabalha e estuda, é possível incorporar alguns conceitos dessa cultura para ter uma melhor distribuição do tempo.

 

O ideal é colocar tudo isso em um papel, ou até mesmo em uma planilha. Desse modo, fica mais fácil visualizar todas as tarefas que devem ser feitas no dia e qual é o horário dedicado à cada uma delas.

 

Para as escolas de crianças e jovens, é importante que os pais e/ou responsáveis se organizem também, já que muitos estudantes vão necessitar de um suporte, principalmente quando há dificuldades em acessar plataformas de ensino.

3 – Evite distrações

Quando estamos em casa, é comum nos distrairmos com afazeres domésticos, bem como com outras atividades de fácil acesso. 

 

Por exemplo, uma televisão, vídeos em redes sociais, questões de administração condominial (para quem mora em condomínios), conversas em grupos do whatsapp, entre outros.

 

Tudo isso pode prejudicar o rendimento em aulas EAD, ainda mais porque estamos em contato direto com a internet. Por esse motivo, recomenda-se evitar as distrações, focando apenas na aula e nas prioridades de tarefas.

 

Uma alternativa é desligar todos os aparelhos e silenciar as conversas de celular. Também é recomendável ter um gerenciamento do tempo, para que os estudantes tenham um momento de lazer durante o dia, visto que esses períodos são muito importantes para evitar a fadiga mental.

 

Para as crianças e jovens, o ideal é propor pequenos intervalos entre as aulas, mas com parcimônia para que eles não percam totalmente o interesse nos estudos.

 

Outra dica é mostrar vídeos e conteúdos educativos na internet. Por exemplo, o funcionamento de uma estação de tratamento de efluentes industriais pode ser um material interessante para as aulas de química, física e biologia, aproveitando os momentos de distração para aprender.

4 – Escolha um local agradável para os estudos

Algumas pessoas têm em casa um escritório ou um quarto disponível para atividades home office, como estudos e trabalho. 

 

Mas isso não é a realidade de todos os brasileiros, principalmente para quem teve que se adaptar às mudanças durante a pandemia da Covid-19.

 

Inclusive, alguns empregados tiveram que fazer trabalhos de grande porte em casa, como a confecção de uniformes dentro da residência, ao invés de um ambiente fabril próprio.

 

Para os estudantes, a realidade é a mesma – ainda mais para quem saiu das salas de aula presenciais e teve que aprender com o EAD.

 

Sendo assim, mesmo para quem não tem um local adequado em casa, é possível adaptar um cômodo ou um espaço para realizar as atividades. Por exemplo, o quarto pode ser um bom local, com uma escrivaninha pequena e uma cadeira.

 

Ou, então, a sala de estar pode servir de ambiente para as atividades escolares, desde que dispensando as distrações (como televisão, principalmente).

 

Aliás, vale dizer que é importante evitar o conforto excessivo. Não é porque estamos em casa que devemos estudar deitados na cama ou encostados no sofá. Aparentemente, essas alternativas soam muito agradáveis, mas não contribuem com a produtividade.

 

Para ter um bom rendimento com EAD, o seu espaço precisa:

 

  • Estar devidamente organizado;
  • Ter materiais de estudo à disposição;
  • Contar com uma mesa e cadeiras ergonômicas;
  • Ter uma boa iluminação.

 

Mesmo que não for possível adaptar a sua casa a todos esses aspectos, vale a pena procurar um ambiente mais calmo e tranquilo para os estudos.

 

Para as crianças, esse cuidado deve ser redobrado, porque se a família mora perto de uma indústria que faz automação pneumática, ou há muito barulho na rua, esses pormenores também favorecem a distração.

5 – Busque outras fontes de conhecimento

Usar os conteúdos enviados pelos professores é essencial para conquistar um bom desempenho no ensino e em todo o curso, mas o EAD oferece a possibilidade de buscar outras fontes de conhecimento, incluindo livros, vídeos e materiais disponíveis na internet.

 

Por exemplo, em uma disciplina sobre manutenção de equipamentos médicos, o aluno pode procurar por um vídeo educativo no YouTube ou uma apostila gratuita para aprofundar os conhecimentos.

 

Todo esse trabalho pode ser feito em conjunto com os professores e tutores, que também podem recomendar outros conteúdos online.

 

Essa é uma maneira de oferecer novas ferramentas de aprendizado, que não somente exposição online e leitura de documentos. Dessa forma, o aluno desenvolve novas habilidades para aprender, e o ensino à distância pode ser muito mais completo.

Conclusão

A crise do novo coronavírus, Covid-19, modificou a rotina em todo o mundo, incluindo das instituições escolares, que tiveram que adaptar suas atividades para a educação à distância, para cumprir as recomendações de isolamento social.

 

No entanto, há muitos obstáculos para a promoção de um ensino nessas circunstâncias, ainda mais para quem estava acostumado com as aulas presenciais e a frequência nas salas de aula.

 

Um dos maiores problemas e que afeta crianças, jovens e adultos é o déficit de produtividade. Muitas vezes causado pela inexperiência de estudar à distância, o mal desempenho também envolve muitos outros aspectos.

 

Por isso, o artigo de hoje mostrou algumas dicas de como se manter produtivo no EAD e aproveitar ao máximo do aprendizado. Afinal de contas, é possível aprender à distância, tendo um rendimento tão bom quanto o presencial.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Comentários