Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Como fazer uma reserva de emergência sem machucar o seu bolso?

Saiba como organizar o orçamento para montar a sua reserva de emergência

Muitos brasileiros estão aprendendo sobre educação financeira e com isso buscam rever seus conceitos sobre finanças pessoais. A partir desse aprendizado, buscar a melhor previdência privada e um ativo de alta liquidez e bom rendimento para montar a reserva de emergência são ações básicas e primordiais para a reestruturação financeira.

Com renda baixa e orçamento muito apertado, muitas pessoas se perguntam como é possível construir uma reserva de emergência ganhando pouco. Aqui neste artigo, vamos dar dicas de como montar a sua reserva sem sair do orçamento e nem fazer grandes restrições no dia a dia.

O que é e quando a reserva de emergência deve ser utilizada?

Basicamente, a reserva de emergência é a construção de uma reserva de valor que deve ser aplicado em um ativo de alta liquidez para ser usado apenas em imprevistos. De acordo com especialistas, o ideal é que a reserva de emergência corresponda a, pelo menos, três meses de renda mensal.

A reserva de emergência deve ser usada apenas em eventualidades como problema de saúde inesperado que gera custos com internação, exames e remédios, por exemplo. Também pode ser usado para recuperar danos em bens, como por exemplo, acabar com uma infiltração na parede da sala ou realizar um conserto mecânico para manter o carro funcionando.

E claro, a reserva de emergência também deve ser usada por conta do desemprego ou de uma diminuição de renda brusca, no caso de profissionais autônomos e MEIs. Assim, será possível cobrir os custos essenciais por um tempo até que a pessoa se restabeleça.

Confira abaixo nossas dicas para montar uma reserva financeira sem fazer muitas restrições:

Organize o seu orçamento

O primeiro passo para começar a fazer uma reserva de emergência é organizar o orçamento. Então, elenque todos os seus gastos. Depois, divida-os em gastos fixos essenciais, gastos variáveis e gastos supérfluos.

A partir disso, você pode ter uma noção do seu custo de vida e dos principais gastos que acabam pesando demais no seu orçamento. Assim, você consegue diminuir os gastos supérfluos e renegociar gastos fixos para baratear o orçamento.

Dessa maneira, você pode ganhar espaço no orçamento para estipular um valor mínimo para a sua reserva de emergência.

Escolha um investimento de alta liquidez e boa rentabilidade

Investir é fazer o seu dinheiro trabalhar para você. No caso da reserva de emergência, os ativos mais recomendados são os CDBs, os Fundos DI e os títulos do Tesouro Direto.

Esses ativos são de renda fixa, por isso possuem menor risco e contam com títulos de liquidez diária, que permitem o resgate do dinheiro a qualquer momento. A dica é analisar a rentabilidade dos investimentos para escolher a melhor opção para guardar a sua reserva de emergência.

Tenha disciplina

Um dos fatores mais importantes para crescer a sua reserva de emergência é a disciplina. A reserva se constrói ao longo do tempo, logo o mais importante é realizar aportes mensais para engordar o valor guardado.

Pode parecer pouco, mas se você guarda R$ 100 por mês em um ano você terá uma reserva de R$ 1.200 mais rendimentos. Então, defina metas e se discipline para segui-las à risca e atingir os seus objetivos.

Aumente suas receitas e o aporte mensal da sua reserva de emergência

Outra dica importante é buscar aumentar suas receitas ao longo do tempo para aumentar o valor dos aportes mensais na sua reserva de emergência. Uma forma simples de fazer isto é tentar transformar seus hobbies em renda extra.

Dessa maneira, você pode aproveitar o seu tempo livre para ganhar mais dinheiro e aplicar todo esse valor extra na sua reserva de emergência. E claro, você também pode buscar promoções no trabalho ou conseguir uma oportunidade melhor no mercado de trabalho.

Empreendedores também podem pensar no lançamento de novos produtos, entrar em outros segmentos para tentar aumentar a receita de seus negócios, e por consequência, seus lucros.

Não use a poupança para montar sua reserva de emergência

Uma dica importante para construir uma reserva de emergência rentável é não deixar esse valor guardado na poupança. Atualmente, a poupança rende abaixo da inflação, então usá-la para montar sua reserva é uma forma de perder poder de compra.

Esse fator se potencializa se você faz aportes pequenos ao longo do ano. Por isso, os investimentos mais indicados para a reserva de emergência são os títulos públicos do Tesouro Direto e os CDBs. Estes ativos garantem rendimento acima da inflação, o que representa um ganho real de poder de compra, fator essencial para uma reserva de emergência.

Como mostramos ao longo do texto, é possível construir uma reserva de emergência ganhando pouco. Basta repensar o orçamento, ter disciplina e cumprir metas. Essa é a melhor forma de dar início na vida de investidor para começar a explorar o mercado financeiro pouco a pouco e fazer o seu dinheiro trabalhar para você.