fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

24horas Variedades

Como adaptar seu gato e cachorro à chegada de um novo companheiro pet

Algumas medidas ajudam a tornar a convivência com o novo animal mais fácil

 

Ter um novo bicho de estimação em casa é quase como se preparar para a chegada de um novo filho. O mais velho fica com ciúme e pensa que você não gosta mais dele. Isso faz com que a convivência entre o animal antigo e o novo, em muitos casos, não seja pacífica em um primeiro momento.

 

Portanto, é necessário atenção especial para que a chegada do novo morador seja tranquila e não cause desavenças com o animal que já estava vivendo lá. Afinal, cuidar da saúde dos animais não se resume a ficar atento a pulgas e carrapatos presentes em seus pelos, mas também preservar o aspecto mental deles.

 

Tanto para cães quanto para gatos, há orientações específicas para tornar essa adaptação mais fácil. Conheça algumas das recomendações abaixo.

Adaptando o cachorro à chegada de um cão

Se você já tem um cachorro em casa, deve saber que ele já está acostumado a ser o “filho único” da família. Portanto, se pretende trazer um novo cão ou mesmo um filhote para a sua residência, é necessário adotar alguns cuidados para que essa transição seja tranquila.

 

A primeira recomendação é que o encontro dos dois animais aconteça em um ambiente neutro, como uma praça ou na casa de outra pessoa. Isso porque os cães costumam ser muito protetores quanto ao seu território e podem não reagir bem à chegada repentina de outro cão na casa.

 

Uma das maneiras de evitar um conflito nesse encontro é passear separadamente com cada um dos animais. Isso fará com que eles se cansem, diminuindo a energia de ambos. Não faça esse encontro acontecer se você perceber que os cães estão muito ansiosos ou agitados.

 

Quando eles se encontrarem, permita que um sinta o cheiro do outro, sem pressa. Isso é importante para que eles possam se acostumar com a presença um do outro. Certifique-se, apenas, de que ambos estejam na guia, para evitar a chance de qualquer conflito.

 

Após isso, você pode levá-los para casa. Nesse momento, atente-se às reações do cão mais velho. Se ele se abaixar, ficar com os pelos eriçados e mostrar os dentes, é um sinal de que está agressivo com a presença do novo companheiro. Coloque ambos na coleira novamente e faça com que eles se cheirem mais uma vez até que fiquem mais tranquilos.

 

Faça com que os dois fiquem no mesmo ambiente, mas com a devida supervisão. Brinque muito com o cachorro primogênito para que ele saiba que ainda é querido e não deve ter ciúmes. Ao chegar em casa do trabalho, dê atenção para os dois animais, de forma que eles se sintam queridos.

 

Uma recomendação importante é na hora de alimentá-los. Certifique-se que, nas primeiras semanas, os animais comam separadamente, com o intuito de evitar que eles roubem a comida um do outro — algo que pode levá-los a brigar entre si.

 

Também é fundamental que você compreenda como funciona a brincadeira entre os cachorros. Eles costumam fazer isso com mordiscadas, roladas no chão e batendo as patas, além de alguns rosnados. Pode não parecer quando você os assiste, mas isso é comum e as mordiscadas não machucam. Esse processo fará com que eles fiquem mais próximos.

 

Alguns sinais ajudam a perceber que eles estão brincando e não brigando: o corpo fica mais relaxado e você nota que nenhum deles está tentando fugir. Por isso, não fique preocupado em demasia e nem tente separá-los ao início de qualquer brincadeira. Eles vão entender que o fato de brincarem juntos é algo errado e irão parar de se interagir.

Adaptando o gato à chegada de um gato

Já no caso dos gatos, algumas dicas em relação aos cachorros ainda são válidas, mas outros cuidados são necessários. Os gatos também são territorialistas e tendem a disputar o espaço em que moram. Portanto, a adaptação deve ser feita ao poucos para que o gato antigo possa se acostumar à chegada da nova companhia.

 

A primeira recomendação é que o gato novo seja mantido em um cômodo separado, com a sua própria caixinha de areia e tigelas de água e comida. O animal antigo deve ter acesso aos demais cômodos normalmente. Com o passar do tempo, cada um deles irá se acostumar com o cheiro do outro e aceitar a presença do outro felino.

 

Uma das formas de estimular esse processo é usando uma flanela limpa e passar no gato recém-chegado. Coloque a flanela em um ponto que o morador antigo costuma ficar, como o local em que ele dorme. Dessa forma, ele irá se acostumar ao cheiro do novo gatinho. Você pode fazer o mesmo para que o recém-chegado acostume-se ao cheiro do mais velho.

Comentários