Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

CEDOC da Fundação Romi realiza exposição com fotos de Augusto Strazdin

O Centro de Documentação Histórica – CEDOC da Fundação Romi está executando, desde dezembro de 2019, o projeto “Imagens Reveladas. Tesouros Escondidos”, a partir do acervo do fotógrafo Augusto Strazdin (1900-1986), o qual durante décadas registrou o cotidiano da cidade através de suas lentes, os acontecimentos políticos, sociais e esportivos de Santa Bárbara d’Oeste. A partir desse acervo estão sendo realizadas ações educativas e de fomento, envolvendo profissionais especializados da área de memória, escolares e a comunidade regional.

 

Na última semana, foi lançado nas mídias sociais do CEDOC da Fundação Romi e no canal do Youtube da Fundação Romi, um vídeo que traz interatividade, no formato de exposição virtual. Agora, esta exposição tomou forma e pode ser vista em local aberto, na Avenida João Ometto, nas grades da sede da Fundação Romi, entrada do CEDOC. A montagem aconteceu na última segunda-feira, dia 12 de abril, e quem transita no local já pode conferir os belos registros do fotógrafo Augusto Strazdin, com imagens da Igreja Matriz Santa Bárbara, entre outras.

 

Composta por 10 painéis com imagens da década de 1940 e 1950, a ação extramuros possibilita o público fazer uma viagem no tempo com os desfiles cívicos do ano de 1950. Outras pessoas irão reconhecer os locais, prédios fotografados por Strazdin que sobreviveram ao tempo como a Igreja Matriz Santa Bárbara, a ETA 1, a Escola Estadual Comendador Américo Emílio Romi, a Fundação Romi, entre outros. “O acervo do Strazdin é composto por belas imagens. Essas estavam em negativos de chapas de vidro e outras em flexíveis. Durante a execução do projeto, nossa meta é o processamento técnico de 1.500 negativos da coleção do fotógrafo Augusto Strazdin até o final, previsto para agosto deste ano”, explica a coordenadora do CEDOC da Fundação Romi Sandra Edilene de Souza Barboza.

 

Em outubro de 2020, a equipe técnica do Centro do Documentação Histórica – CEDOC da Fundação Romi  terminou o trabalho de higienização, acondicionamento e digitalização de 498 chapas de vidro que já foram também catalogas e estão disponíveis para pesquisa no banco de dados do CEDOC cdoc.fundacaoromi.org.br. Em novembro do ano passado, teve início o trabalho de higienização dos negativos flexíveis de suporte plástico e, mais de 1.000 chapas já se encontram higienizadas, acondicionadas e armazenadas na Reserva Técnica.

 

O projeto “Imagens Reveladas. Tesouros Escondidos”, que é apresentado pelo Ministério do Turismo, por meio da Secretaria Especial da Cultura, com o patrocínio da Indústrias Romi, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, visa a fomentar novas formas de valorizar os acervos documentais como fonte de conhecimento, através de ações de preservação e educativas, in loco e extramuros, permitindo o acesso à história revelada, diminuindo assim, o distanciamento do público em relação ao acervo do CEDOC da Fundação Romi.

 

A exposição, que leva o mesmo nome do projeto, pode ser conferida até agosto, todos os dias, no horário de disponibilidade de cada um. A exibição pode ser conferida na Avenida João Ometto, nas grades da sede da Fundação Romi, entrada do CEDOC (nº200).

 

 

Sobre o CEDOC

O Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi é um espaço vivo de preservação da história, que além de resgatar todo o passado histórico de Santa Bárbara d’Oeste e região, atua na guarda, conservação e disponibilização do acervo da Fundação Romi e da Indústrias Romi – com destaque para o acervo do Romi-Isetta. Além de um espaço expositivo vivaz e dinâmico, o CEDOC realiza o projeto de Educação Patrimonial para crianças e adolescentes, realiza o Processamento Técnico de todos os documentos recebidos e ainda recebe exposições e palestras, promove visitas monitoradas e técnicas, oficinas de capacitação e experimentação. O CEDOC está localizado na Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.

 

Sobre a Fundação Romi

 

Seu legado iniciou em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi. Tendo como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura, a Fundação Romi é pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, beneficiando mais de 30 mil pessoas, por ano, através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Mantenedora do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, oportuniza a formação integral, autônoma e protagonista de crianças, adolescentes e jovens. Além disso, promove, por meio de seu Centro de Documentação Histórica, projetos de educação patrimonial para crianças do Ensino Fundamental I, para reconhecimento e conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania. Somado a isso, seu Centro de Documentação Histórica também realiza o Processamento Técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa. Dentre as unidades da Fundação Romi também está a Estação Cultural de Santa Bárbara d´Oeste que, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas atende milhares de pessoas por ano. A Fundação Romi está localizada à Avenida João Ometto, 200, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1555. www.fundacaoromi.org.br.