Americana: O ensino da matemática como arte na Emef Florestan Fernandes


Cubo, dobradura, zoológico, flores, animais, todas as figuras planas ou em 3D fazem parte de uma exposição de arte das aulas de geometria de 90 alunos da professora Renata Bosso, da Escola Municipal do Ensino Fundamental de Americana, Emef Florestan Fernandes. A mostra dos mais de 300 trabalhos está no pátio da escola até o final do mês de setembro.

Renata resolveu montar uma aula diferenciada. Em “A matemática das dobraduras” quis explorar conceitos, relações e propriedades geométricas, cubos e simetrias estimulando o fazer arte com os alunos. “Geometria é uma aula muito chata. A ideia, com a iniciativa, é motivá-los com uma atividade diferenciada e que o resultado pudesse ser criação e imaginação”, destacou a professora.

Ela trabalhou atividades geométricas – cubos, caixas e dobraduras – de forma conceitual. “Usamos a dobradura de uma forma lúdica”, destacou. Renata utilizou slides na lousa digital e um compasso virtual. A professora incentivou pesquisas e pediu dobraduras com figuras de seres vivos. “Eles olharam na internet e observavam se as imagens tinham relações geométricas”. Animais ou objetos seriam permitidos desde que fossem planos ou em 3D. Não houve direcionamento na escolha das representações.

Jonas dos Santos, de 12 anos de idade, fez cubos, tsuru (ave sagrada do Japão) e um circo que gira, pavão e coelhos. Demorou dois dias para aprontar tudo. “Não deu muito trabalho porque fiz com outro aluno em casa”. Sobre trabalhar matemática como arte, Dos Santos elogiou. “Muito legal. Quem poderia imaginar que do papel sairia um monte de coisas. Desta forma ajuda a gostar mais da matemática”, revelou.

A aluna Júlia Vales, de 13 anos, fez cubos, borboletas e uma flor. Ela, no inicio, não sabia que figura usar. Usou o Youtube para identificar quais ficariam mais coloridas e divertidas.

 

Unidade de Imprensa: Roberto Andrade

Comentários

Notícias relacionadas