AAANO inicia microchipagem de animais da Feira de Adoção

A partir do dia 9 de março, a microchipagem será obrigatória e vai facilitar na identificação em casos de abandono e sumiço de animais

 

Com o objetivo de diminuir o número de animais abandonados e perdidos nas ruas da cidade, a AAANO (Associação Amigos dos Animais de Nova Odessa) vai começar a microchipagem obrigatória de todos os animais da sua Feira de Adoção. A partir do dia 9 de março, sábado, os microchips serão aplicados em cães e gatos, adultos e filhotes, que vão ajudar na identificação dos donos caso os animais sejam encontrados nas ruas.

 

O microchip é obrigatório por lei municipal 2674/13 e também por ser um protocolo padrão das Associações de proteção animal, e indicado por especialistas e veterinários para controle e segurança do animal e, principalmente, para coibir novos abandonos. Segundo Carlos Pinotti, presidente da AAANO, a medida é necessária em Nova Odessa. “Ao encontrar o animal abandonado e chipado nas ruas, agora podemos identificar, multar e punir o autor do crime. E em caso de uma fuga acidental, quem o encontrar, pode devolver o animal em segurança para o tutor. Esperamos com isso que a população se conscientize e pare de abandonar animais. Lembrando também que deixar o animal solto na rua também configura abandono, passível de notificação e multa.”, afirma.

 

Pinotti explica que o microchip é minúsculo e aplicado de forma fácil, por baixo da pele, e só é ativado com a leitora. Então não oferece nenhum risco ao animal, e não tem prazo de validade, nem precisa de nenhum tipo de manutenção. “No chip ficam dados como nome completo, documentos, endereço e telefone para contato do tutor. Ninguém, além da AAANO, terá acesso aos dados do dono do animal. Somente em caso de alguém encontrar seu animal na rua, tiver acesso a uma leitora, que os nossos voluntários já tem, e entrar no sistema de cadastro nacional de microchips”, explica.

 

Os próprios voluntários, que passaram por vários treinamentos e orientações veterinárias vão aplicar os microchips. O tutor do animal não poderá implantar o chip, pois não terão acesso ao sistema de cadastro.

 

A compra dos microchips foi realizada com dinheiro do caixa da AAANO. Com isso, a entidade realizará a cobrança da implantação para arcar com os custos desse material. “Para quem doa o seu animal na feirinha, o valor será de R$10 por animal. Para quem adotar, R$ 20 por animal adotado. E com isso, o adotante ganha a consulta gratuita, o vermífugo, e entra no programa de castração a preço de custo da AAANO”, finaliza Pinotti.

 

Para mais informações, acesse www.aaano.com.br.

 

Comentários

Notícias relacionadas