Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Variedades

A história do Android

O sistema operacional que hoje pertence ao Google tornou-se um gigante no mercado na última década.

 

O Android é um dos sistemas operacionais mais utilizados nos smartphones atuais. Caracterizado por ser open-source, ele ganhou o mercado e entrou na mente das pessoas ao longo da última década, tornando-se um dos símbolos da tecnologia de celulares.

 

Agora, se você tem um smartphone Android, que facilita a sua vida, saiba que o sistema operacional teve que percorrer um longo caminho até se tornar o que é. Neste texto, conheça melhor a história desse recurso e como ele evoluiu ao longo dos anos.

Criação

Se, hoje, o Android é associado ao Google, a sua origem não aconteceu na empresa. Originalmente, ele pertencia a uma companhia com o mesmo nome, fundada em 2003. O objetivo era inventar um sistema operacional que pudesse ser utilizado em câmeras digitais.

 

No entanto, os criadores perceberam que poderiam ir além, o que os levou a vender o produto para o ramo de celulares. Naquela época, antes do lançamento do iPhone, o Symbian, sistema operacional da Nokia, dominava o mercado. Em uma escala bem menor, ainda havia uma versão mobile do Windows.

 

No entanto, os primeiros passos do Android no mercado foram turbulentos. A empresa tinha dificuldades em conseguir investimento, e as operadoras não tinham interesse em algo que tiraria o controle da indústria de suas mãos.

Compra pelo Google

A situação do Android começou a mudar em 2005. Neste momento, o Google comprou uma série de startups e outras marcas pequenas que ganhavam notoriedade no mercado, como o YouTube e o Android. Com isso, o sistema operacional ficou dois anos em desenvolvimento interno, sendo chefiado por Andy Rubin, um dos cofundadores.

 

Ele foi oficialmente apresentado ao planeta com a Open Handset Alliance. Esta foi uma iniciativa do Google, ao lado de grandes fabricantes do ramo, como LG, Motorola e Samsung, para desenvolver uma plataforma mobile única.

 

Isso foi possível pelo fato do Android ser um sistema operacional que tinha kernel baseado em Linux. Então, como era um código open-source, poderia ser personalizado e modificado, ganhando novas versões e evoluindo por meio da comunidade.

 

Simultaneamente, o Google também fez um concurso de US$ 10 milhões em prêmios para que desenvolvedores criassem aplicativos direcionados ao Android. Essa foi uma estratégia que permitiu que ele chegasse ao mercado já com muitas opções, facilitando a aceitação do público.

Versões iniciais

A primeira versão foi lançada em setembro de 2008, contendo algumas funcionalidades clássicas, como sincronização com serviços do Google, media player e barra de notificações. No mesmo mês, foi lançado o primeiro smartphone com o sistema operacional, o HTC Dream.

 

A versão 1.5, batizada de Cupcake, trouxe suporte a teclados virtuais, autorrotação de tela e gravação de vídeo. Ela foi a primeira a ganhar um nome de doce, algo que se tornaria padrão nos próximos lançamentos. A versão 1.6, chamada de Donut, tinha recurso de texto para voz, enquanto o Android Eclair, versão 2.0, estreou novos recursos de câmera e interface.

 

A partir da versão 2.2, apelidada de Froyo, o Android passou a ter suporte a Flash e foi o sistema do Nexus One, primeiro dispositivo da linha Nexus, produzido pela própria Google. Já o Android Honeycomb, versão 3.0, foi o primeiro sistema feito especialmente para os tablets.

 

A versão 4.0, Ice Cream Sandwich, trouxe melhorias na interface, enquanto a 4.1, Jelly Bean, foi a responsável por trazer estabilidade e atualizações internas, aprimorando o desempenho.

Android atual

Nos últimos anos, alguns dos maiores destaques do Android vieram com o lançamento da versão 7.0, Nougat, marcando a estreia do Daydream, óculos de realidade virtual do Google. Ela também apresentou a funcionalidade Picture in Picture, que permite que você assista a um vídeo em uma janela flutuante enquanto realiza outra tarefa no smartphone.

 

A versão 9.0, Pie, foi importante por substituir os três botões de navegação do sistema por um único, o “Home”. Também houve uma otimização da bateria, que previa o que seria usado pelo usuário para não gastar energia além do necessário.

 

A comemoração dos 10 anos do Android aconteceu com o Android 10, que parou com a tradição dos nomes com doces. Essa versão introduziu o Modo Noturno para todas as abas e aplicativos do sistema, além de tornar-se otimizável para celulares dobráveis.

 

Por fim, a última versão lançada foi o Android 11. Entre as novidades, destaca-se a possibilidade de gravar a tela do aparelho de forma nativa, além de agrupar todas as notificações de aplicativos de mensagens em uma aba única, batizada de “Conversas”.