AutoMotor 

Volkswagen Golf Variant chega à linha 2017 com motor mais potente e novos equipamentos


A station wagon mais moderna e inovadora do mercado brasileiro chega à linha 2017 com novidades. O Golf Variant passa a contar com motor 1.4 TSI Total Flex de 150 cv em suas duas versões: Comfortline e Highline. O comando de voz, acionado pelo volante multifuncional, agora é item de série em todas as configurações. A oferta de rodas de liga leve também é nova para a linha 2017.

Feito sobre a Matriz Modular Transversal (MQB), o Golf Variant é produzido na fábrica da Volkswagen em Puebla, no México. O modelo foi exibido pela primeira vez no Brasil no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo (2014) e obteve excelente aceitação do público, chegando ao mercado nacional em maio de 2015.

Downsizing flexível

O Golf Variant 2017 é equipada com o motor 1.4l TSI Total Flex. Pertencente à família EA211, o motor tem bloco e cabeçote feitos de alumínio, duplo comando de válvulas no cabeçote (variável na admissão; são quatro válvulas por cilindro) e é equipado com injeção direta de combustível e turbocompressor. Esse motor desenvolve potência de 150 cv (etanol e gasolina) na faixa de  4.500 rpm a 5.500 rpm. Seu torque máximo, de 25,5 kgfm (250 Nm), surge já a apenas 1.500 rpm e se mantém até os 4.000 rpm, independentemente da mistura de combustível.

Tanto na versão Comfortline como na Highline, o motor 1.4l TSI Total Flex é combinado exclusivamente à transmissão automática de 6 velocidades (com conversor de torque) com função Tiptronic (que permite ao motorista efetuar as mudanças manualmente, por meio da alavanca de câmbio ou por aletas no volante). O Novo Golf Variant acelera de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos e alcança 207 km/h de velocidade máxima (dados com etanol).

E para continuar a ser referência de downsizing, mesmo consumindo etanol (E100), gasolina (E22) ou qualquer mistura desses combustíveis, o motor 1.4 TSI Total Flex traz uma série de novidades em relação ao propulsor a gasolina.

A central eletrônica do motor (ECU) tem novos software e hardware. Os pistões e anéis foram redimensionados para os 10 cv extras de potência do motor flexível, que recebeu um catalisador especificamente calibrado para ele. Outras novidades são a guia de válvula que agora tem dupla vedação e a sede de válvulas do cabeçote e as válvulas injetoras com tratamento específico para operarem com o combustível de origem vegetal.

A sonda lambda passa a ser linear, proporcionando melhor controle na combustão. Por causa das características do etanol, o sistema de injeção de combustível do motor 1.4 TSI Total Flex utiliza 250 bar de pressão – como referência, o motor 1.4 TSI a gasolina trabalha com 200 bar. Com isso, a galeria de combustível foi modificada e está ainda mais robusta.

Ainda no sistema de ignição, as velas contam com grau térmico específico e geometria diferenciada para funcionar em qualquer mistura de etanol ou gasolina. O motor 1.4 TSI Total Flex utiliza velas de ignição de dupla platina, o que proporciona ignições e faíscas mais rápidas utilizando menos energia. Resultado: excelente durabilidade.

Comentários

Leia também...