SB24Horas

Notícia na hora certa!

Vereadora Professora Juliana busca detalhes sobre serviço de acolhimento de pessoas em situação de rua

A vereadora Professora Juliana visitou nesta segunda-feira (25) a Associação Vinde à Luz, que atua no acolhimento de homens em situação de extrema vulnerabilidade e situação de rua, localizada na Praia Azul, para conhecer o trabalho e estrutura e verificar as condições do atendimento feito no local.

 

Fundada em 2012 com a finalidade de prestar serviço de assistência social a homens em situação de rua, a entidade tem convênio com a secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos e atende atualmente 28 homens (com capacidade para atender até 68), em quartos coletivos, com sete moradores em cada um.

 

De acordo com informações obtidas no local pela vereadora, a associação busca promover a integração dos homens atendidos no local à vida comunitária, visando sua autonomia, inclusão social, melhoria da qualidade de vida e o bem-estar. O trabalho é desenvolvido por psicólogas, assistentes sociais e educadores sociais.

 

“Esse trabalho de acolhimento tem se tornado cada vez mais necessário nesse cenário de crise econômica e alta do desemprego. Então fomos até a sede da entidade para conhecer o trabalho que é desenvolvido, verificar como estão as condições das equipes e nos colocar à disposição”, disse a vereadora.

 

Juliana destaca que a Vinde à Luz é responsável pelo Serviço Especializado em Abordagem Social, que realiza a abordagem das pessoas em situação de rua e oferece o acolhimento para aqueles que se enquadram nos parâmetros de idade (18 a 59 anos) e estão em Americana há pelo menos seis meses. O contato do serviço, que pode ser acionado por qualquer cidadão que se depare com alguma pessoa em situação de vulnerabilidade, é o (19) 9 9632-5032.

 

A parlamentar foi recebida no local pela assistente social Sara e pela psicóloga Vanessa, que mostraram a estrutura e explicaram como funciona o trabalho com os acolhidos.

 

“Um ponto que merece destaque é que a equipe técnica elabora junto a cada acolhido um plano individual de acompanhamento, chamado PIA, que registra o perfil, o histórico e os objetivos de cada pessoa. E essas características são desenvolvidas com o auxílio do trabalho feito pela associação. Isso colabora para que a pessoa atendida possa se reerguer e retomar sua vida em comunidade”, explicou a parlamentar.