SB24Horas

Notícias na hora certa!

Vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira

Neste ano, o período de vacinação ocorre entre 15 a 26 de abril. A meta é vacinar 32 milhões de pessoas

vacina-gripe-campanha-20120502-size-598

O público alvo da Campanha de Vacinação contra a gripe são idosos, crianças entre seis meses e dois anos de idade, gestantes em qualquer período da gravidez, indígenas, profissionais da saúde e a população prisional (Thinkstock)

 

Começa nesta segunda-feira, em todo o Brasil, a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Neste ano, o período de vacinação ocorre entre 15 a 26 de abril, e a meta do Ministério da Saúde é imunizar 32 milhões de pessoas. Esse número representa 80% de todo o público alvo da ação, que inclui pessoas maiores que 60 anos, indígenas, profissionais de saúde, população carcerária, mulheres até 45 dias depois do parto, crianças de seis meses a dois anos de idade e doentes crônicos.

Segundo o Ministério, serão distribuídas 42,9 milhões de doses em todo o país. A vacina protege contra três tipos do vírus influenza: o B, o H1N1 e o H3N2. “A vacina da influenza tem a imunidade curta, de nove a doze meses. Depois de vacinadas, as pessoas estarão protegidas a partir de 15 dias. Quem foi vacinado no ano passado, precisa tomar a dose novamente”, diz o ministro da Saúde Alexandre Padilha.

Para crianças de até dois anos que nunca foram vacinadas, é preciso dar duas doses, com um intervalo de trinta dias entre elas. Além disso, portadores de alguma doença crônica, que terão o acesso ampliado a todos os postos de saúde — e não apenas nos Centros de Referência —, precisam apresentar uma prescrição médica para que possam ser imunizados.

As pessoas que não fazem parte do público-alvo da campanha, mas que desejarem receber a vacina contra a gripe, podem ser imunizadas em clínicas da rede privada. No entanto, segundo informou o Ministério da Saúde, elas devem ficar atentas à data de validade da vacina. Não há, porém, recomendação para que todos os indivíduos sejam imunizados, mas sim apenas aqueles que apresentam maior risco de desenvolver consequências graves da gripe.

 

Fonte: Veja