RMC 

Tribunal de Contas coloca Americana entre os municípios paulistas que mais investem em saúde

Entre os municípios com mais de 200 mil habitantes, a cidade ocupa a segunda posição geral e a primeira na Região Metropolitana de Campinas

 

 

A Prefeitura de Americana vem demonstrando ao longo desses anos, durante a realização de audiências públicas para explanação do exercício financeiro, que os investimentos que tem feito na área da saúde aumentam ano a ano garantindo, dessa forma, um atendimento de qualidade à população que acorre ao sistema público de saúde.

 

Dados divulgados pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE), publicados no final do ano passado pelo Diário Oficial, corroboram as afirmações da Secretaria de Fazenda local e colocam Americana na segunda posição, entre os municípios paulistas com mais de 200 mil habitantes que mais investem em saúde. A primeira colocação ficou com a cidade de Barueri.

 

O estudo do TCE tem como base o ano de 2012, quando Americana, então com pouco mais de 214 mil habitantes, aplicou o valor de R$ 609,65 por habitante. “Quando o Tribunal publicar outros estudos, baseados em dados mais recentes, veremos que Americana terá um desempenho ainda melhor”, afirmou o secretário de Fazenda, José Antônio Patrocínio.

 

Ao contextualizar os dados dentro da Região Metropolitana de Campinas (RMC), Americana fica com o primeiro lugar. Indaiatuba, com 209 mil habitantes, investe em saúde o equivalente a R$ 404,37 por habitante; Sumaré, com 246 mil habitantes, aplica R$ 416,47; e Campinas, com mais de um milhão de habitantes, tem um investimento de R$ 530,61 por habitante.

 

Números compilados pela Secretaria de Fazenda comprovam a evolução dos investimentos feitos na atual administração. Em 2008, foram 83 milhões de investimentos; em 2009, R$ 94 milhões; em 2010, R$ 111 milhões; em 2011, 148 milhões; em 2012, 166 milhões; e em 2013, R$ 216 milhões.

 

O investimento realizado em 2013 corresponde a 45,99% do orçamento, percentual bem acima dos 15% preconizados como obrigatórios pela legislação.

 

 

 

Unidade de Imprensa

Comentários

Leia também...