Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Tesouros dos Nossos Ancestrais: debate desta semana fala sobre ORI

Projeto acontece de forma online e culminará com exclusiva mostra de peças do acervo do Rei OOni de Ifé

“ORI: autocuidado, psicologia e filosofia preta” é o tema da roda de conversa que será apresentada dentro do projeto Tesouros dos nossos Ancestrais, no dia 30 de abril, às 20h. Mediado por Érica Rodrigues, diretora de projetos da Casa Herança, que receberá a presença da psicóloga Fernanda Nascimento e da filósofa Naiara Paula, o bate papo terá como pano de fundo  ORI, sua representação dentro da cultura iorubá e a importância de cuidá-lo em tempos tão difíceis como os que estamos vivendo.

Patrocinado pela Lei Aldir Blanc, o projeto terá ações semanais de forma online, sempre apontando nortes, óticas e efetuando debates de forma a enobrecer a ancestralidade e saberes, e como estes conhecimentos são perpetuados e reproduzidos até os tempos atuais de modo consciente ou inconsciente.

Diversas atividades estão programadas para o projeto que será conduzido virtualmente devido à pandemia da COVID19. Além das rodas de conversa, as masterclasses serão palco para as discussões, que antecedem a exposição de peças do acervo particular de sua Majestade, o rei OOni de Ifé. A coleção imperial de arte iorubá conta a história de Oduduwa e seus descendentes através de esculturas produzidas na vasta terra iorubá, por artistas de povos como Egba, Oyo, Ifé, Ijexa entre outros. São obras milenares e contemporâneas que chegaram a ser extraviadas do continente africano durante o processo de colonização dos séculos XIX e XX e que,  posteriormente recuperadas, serão exibidas pela primeira vez ao público a partir de junho.

Entre obras milenares e contemporâneas, um verdadeiro tesouro histórico, religioso e cultural, será mais uma importante forma de aproximar as culturas, auxiliando o povo brasileiro a conhecer melhor suas origens, heranças, histórias e até feições, possibilitando este intercâmbio cultural entre povos irmãos, trabalho que vem sendo feito de forma intensa pela Casa Herança de Ododuwa, através , de palestras e cursos oferecidos, atualmente de forma virtual.

“Não existe caminho possível para o futuro da humanidade sem olhar para o continente africano e compreender o legado que nossos ancestrais nos deixaram. Sem dúvida, é essa herança que irá auxiliar a construirmos juntos um mundo melhor para todos. Nossos ancestrais deixaram conhecimento vitais para os problemas da humanidade e tenho certeza de que o futuro é ancestral”, conta Ooni de Ifé – rei de Ilê Ifé/Nigéria.

Pensado primeiramente para ser uma um evento presencial, “Tesouros dos Nossos Ancestrais: arte iorubá” é resultado de um esforço pessoal do rei de Ifé, Ojaja II, atualmente a maior autoridade tradicional e religiosa do povo iorubá, que originariamente habitava o Reino de Ifé e reinos ao redor, áreas atualmente do Benin e da Nigéria. Com curadoria de Carolina Maíra de Morais, o projeto, que será realizado totalmente online, abarca, além da exposição virtual, dinâmicas que envolvem rodas de conversas e masterclass com estudiosos e personagens que são referências importantes dentro do segmento artístico-histórico-cultural preto.

“Como historiadora, é uma honra acompanhar este processo curatorial e ver a arte transbordar para vida, porque não estamos apenas falando de objetos de arte, estamos falando de epistemologias, estética, filosofia, concepção de mundo a partir da visão iorubá, e como esse conhecimento múltiplo é atravessado pela ancestralidade,” relata Carolina Maíra Morais, quem comanda a Comissão Curatorial .

“ORI: autocuidado, psicologia e filosofia preta”, poderá ser vista no canal oficial do evento no YouTube:  (https://www.youtube.com/watch?v=LSPlb0Mz-Xw10). Já a programação completa do evento poderá ser acessada no perfil oficial da Casa Herança Oduduwa no Instagram (https://www.instagram.com/casaherancadeoduduwa)

 

Joice Hurtado