Sindicalistas de Piracicaba foram a Brasília defender o fim do fator previdenciário


Um grupo de dirigentes sindicais de Piracicaba, dos sindicatos dos trabalhadores dos papeleiros, de alimentação e da Associação Eclética dos Aposentados e Pensionistas, estiveram nesta semana em Brasília, ajudando a engrossar uma caravana nacional em defesa do fim do fator previdenciário. Eles participaram de  protestos que aconteceram nas proximidades do Palácio do Planalto, defendendo o fim do fator previdenciário, que reduz o salário do trabalhador quando da aposentadoria.

Os dirigentes sindicais  partiram de Piracicaba em uma caravana organizada pela Regional da Força Sindical, e passaram o dia de terça-feira (16) em Brasília, se juntando a outros sindicalistas de diversas partes do País, que foram mostrar a presidente Dilma Rousseff que defendiam a sanção da proposta aprovada pelo Congresso Nacional que põe fim ao fator previdenciário e estabelece a regra 85/95, ou seja, somando o tempo de contribuição e o de vida, a mulher ser aposenta aos 85 anos, e o homem aos 95 anos. Na capital do País, além de participar de vigília na frente do Palácio do Planalto, eles também participaram de passeata pela Esplanada.

Para o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Papel, Papelão e Cortiça de Piracicaba, Emerson Cavalheiro, este movimento contribuiu para que o governo não vetasse simplesmente o fim do fator previdenciário, como chegou a ser ventilado inicialmente, mas apresentasse uma nova Medida Provisória, que estabelece novas regras de aposentadoria, partindo do 85/95. “Com certeza, participamos de um momento histórico de avanço dos trabalhadores brasileiros”, desta Emerson Cavalheiro.

 

Assessoria

Comentários

Notícias relacionadas