Serviços ambientais: Projeto piloto que incentiva o produtor rural é aprovado


A Política de Recuperação, Conservação e Proteção dos Mananciais dos Comitês PCJ (Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), que poderá dar incentivos aos produtores rurais por meio de pagamentos por serviços ambientais, teve sua minuta aprovada em reunião conjunta entre as Câmaras Técnicas de Recursos Naturais e Uso e Conservação de Água no Meio Rural, que aconteceu na última quinta-feira (10) na sede do Instituto de Zootecnia, em Nova Odessa. Essas ações deverão resultar em maior disponibilidade de água com melhor qualidade, de forma mais regular durante o ano todo e na recarga dos aquíferos, no âmbito das Bacias PCJ.

 

O documento tem como finalidade orientar o desenvolvimento de ações para a produção e conservação das águas, através da recuperação e conservação do solo e da vegetação nativa, e garantir assim o acesso aos mananciais de forma assegurada e protegida às gerações atual e futura. Na sequência, a minuta é encaminhada para aprovação em outras instâncias até ser definitivamente aprovada, o que deverá ocorrer até o final de outubro deste ano.

 

“Há muito tempo se discute a questão do incentivo aos produtores rurais pela adoção de boas práticas agrícolas, que são fundamentais para o aumento e regularidade na produção de água, e água de boa qualidade. Essa é uma conta que interessa a todos”, comentou a chefe do Departamento de Meio Ambiente do DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Santa Bárbara d’Oeste, Mônica Tortelli, que é membro da Câmara Técnica. “Para chegarmos a esse estágio de relacionamento com os produtores rurais, é preciso estabelecer políticas que contemplem essas questões. Sendo assim, a aprovação dessa minuta é de extrema importância para a concretização dessas ações”, completou Tortelli.

 

Paralelo a essas ações, Santa Bárbara d’Oeste segue com o projeto de recuperação de nascentes desenvolvido pelo DAE e a Secretaria de Meio Ambiente, o qual visa à restauração florestal de áreas de matas ciliares e nascentes dos mananciais que abastecem o município, por meio de um diagnóstico preliminar existente.

 

“Com o início das atividades desses projetos, temos uma nova oportunidade de desenvolvermos ações técnicas que trarão maior estabilidade ambiental no futuro”, ressaltou o diretor-superintendente do DAE, Rafael Piovezan. “No caso do projeto do município, essa atividade conjunta (DAE e Meio Ambiente) só é possível pela qualidade e articulação entre os técnicos envolvidos, trazendo mais segurança ao nosso abastecimento e a nossa fauna e flora. É mais uma ação de responsabilidade ambiental do governo municipal, em especial do prefeito Denis Andia”, finalizou Piovezan.

 

Além de Mônica, estiveram presentes na reunião os representantes de diversos órgãos públicos municipais e estaduais, Agência de Bacias, CIESP, CETESB, Promotoria de Meio Ambiente, instituições de Pesquisas Científicas e outras entidades privadas.

 

 

Fotos: Área rural e de nascente – arquivo DAE.

 

DAE/SBO

Comentários

Notícias relacionadas