Saúde: Os queridinhos Smartphones X Má postura


Tensão muscular causada por postura indevida em uso prolongado de celulares ou tablets causa ‘pescoço de texto’ e até inflamação nos nervos.

 

Que atire a primeira pedra quem não passa alguns minutos do seu dia entretido em seu aparelho celular, checando as últimas postagens no Facebook, Twitter, Instagram e outras redes sociais. Os smartphones são quase um companheiro inseparável, visto por muitos como um bem essencial no dia a dia – mas o que muitas pessoas não sabem é que o uso excessivo deles pode causar danos ao corpo humano.

O uso dessas tecnologias aumentou de forma tão importante que, no Brasil, existe mais de 1 celular por habitante. Estima-se que uma pessoa gaste de 2 a 4 horas ao dia olhando para o celular, usualmente assumindo uma postura inadequada. Isso pode representar um risco maior de desenvolver lesões e dor na coluna cervical ou pescoço.

A especialista em coluna, Silvia Canevari, membro da Sociedade Brasileira de RPG e diretora do ITC Vertebral de Americana e Jundiaí,  afirma que são cada vez mais comuns os casos de “text neck” – “pescoço de texto” em tradução livre -, dores na cabeça ligadas a tensões na nuca e no pescoço causadas pelo tempo inclinado em uma posição indevida para visualizar a tela do celular.

Um estudo recente realizado nos Estados Unidos avaliou a sobrecarga exercida na região cervical à medida que deslocamos o pescoço para frente: O peso da cabeça transmitido ao pescoço é de aproximadamente 5Kg, quando alinhamos as orelhas com os ombros. Esse valor vai sendo aumentado quando inclinamos a cabeça e o pescoço para frente. Por exemplo, com 15 graus de inclinação, essa sobrecarga aumenta para 12Kg; Com 30 graus de inclinação aumenta para 18Kg; Com 45 graus de inclinação a sobrecarga já é de 22 Kg; Finalmente, com 60 graus de inclinação a sobrecarga chega aos alarmantes 27 Kg. Isso é como segurar uma criança de oito anos no pescoço enquanto você está de pé lendo suas mensagens.

Como é de se esperar, mover a cabeça para frente não é bom para a saúde. A má notícia é que o ser-humano gasta em torno de 4 horas por dia nesta posição. Essa postura inadequada sobrecarrega a coluna vertebral e pode levar a um desgaste precoce. Espera-se, em um futuro próximo, uma “epidemia” de dores cervicais devido a esses problemas posturais.

“O que estamos vendo são cefaleias cervicogênicas”, afirmou. Ela diz que o problema vem de tanto inclinar a cabeça para ver a tela do celular, e isso cria uma pressão intensa nas partes frontais e traseiras do pescoço.

Esse problema pode se agravar e, em alguns casos, pode levar a uma condição conhecida como nevralgia occipital. É uma condição neurológica em que os nervos occipitais – que vão do topo da medula espinhal até o couro cabeludo – ficam inflamados ou lesionados. Ela pode ser confundida com dores de cabeça ou enxaqueca.

O tratamento inclui correção de postura, massagem e remédios anti-inflamatórios, mas em alguns casos é preciso tomar medidas mais drásticas.

Mas ainda é possível evitar as “epidemias’’ e a Dra. Silvia Canevari dá algumas dicas de prevenção veja:

– O ideal é realizar pausas a cada hora para relaxar a postura, dedos e punhos.

– Acessar o celular na altura dos olhos, sendo que os braços devem estar apoiados nas laterais do troco dando o assim, o devido suporte, evitando sobrecarga à musculatura dos ombros e cervical;

– Depois de 30 ou 40 minutos de uso dos aparelhos, faça uma pausa para descansar a musculatura;

– Evite usar tablete no colo, pois essa ação faz com que você fique olhando para baixo. Coloque-o em um local que fique a altura dos olhos, se não for possível, coloque-o em cima de uma almofada para reduzir a inclinação da cabeça e manter a coluna mais alinhada.

Fazendo isso diariamente você pode ter certeza que vai poder curtir muito mais!

 

 

Por: Dra. Silvia Canevari, que é especialista em Coluna, pós-graduada em Terapia Manual e Postural, RPG – método Souchard, Membro da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna Vertebral e Diretora Clínica do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral em Jundiaí e Americana.

Comentários

Notícias relacionadas