Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Saúde mental do pet: como aliviar o estresse do seu animal de estimação?

Imagem: Instagram westie_matilda

A saúde mental do pet é bastante influenciada pelo comportamento dos tutores. Eles devem dar atenção e interagir com o animal.

As pessoas ficam estressadas, mas falar que o mesmo acontece com os animais pode gerar estranheza. Entretanto, eles podem sofrer com outras doenças que afetam a saúde mental do pet, como depressão.

Um estudo apontou que cerca de 17% dos cães sofrem com distúrbios depressivos. Quando se observa os cachorros que vivem em apartamentos esse número pode subir para 55%. Apesar dos números apontarem apenas uma espécie, é possível que a doença atinja gatos, cavalos e até mesmo peixes.

O fato de ficarem trancados e não terem estímulos, são apenas algumas das causas que afetam a saúde mental do pet. Veja como é possível reverter esse quadro e prevenir o estresse.

 

Pratique atividades físicas com o pet

Não é raro ver o pet destruir a casa, comer os móveis ou até mesmo se machucar de tanto se morder. Esses podem ser sintomas de estresse e a atividade física ajuda a aliviar.

Se possível saia todos os dias para fazer passeios, mesmo que seja para dar uma volta no quarteirão. Aos finais de semana, se der, leve-o ao parque para que ele corra e se sinta livre.

Dentro de casa também é possível fazer com que ele se exercite. Brinque com ele de pegar brinquedos, subir e descer nas coisas ou montar um circuito. Os tutores devem estimular a brincadeira e participar dela.

Leve ao veterinário periodicamente

Nem sempre os tutores conseguem identificar quando a saúde mental do pet está comprometida ou quando é apenas uma situação para chamar a atenção.

No veterinário haverá cuidado com a saúde mental do pet e física, sendo que esse profissional consegue detectar desvios de comportamento com maior facilidade. Se ele perceber alguma coisa errada, vai orientar que pode ser feito e até mesmo mudar o comportamento dos tutores.

Uma forma de garantir esse acesso periódico aos cuidados com o pet é com um plano de saúde para animais. Assim, ele sempre será bem cuidado.

Cuide da alimentação

Uma alimentação ruim pode trazer uma série de problemas. É preciso ter cuidado com o que dá para o pet comer. O ideal é que ele ingira rações que tem uma fórmula equilibrada de acordo com a raça e idade.

É possível dar alimentos frescos e naturais, para isso, o melhor é conversar com um veterinário para entender o que ele pode comer e qual a quantidade correta. Não ceda aos pedidos do seu animal, ele sempre vai querer o que você está comendo e isso pode não fazer bem a ele.

Tente seguir uma rotina

Os pets se acostumam com uma rotina, sabem quando é hora de comer, dormir e brincar. Mudanças bruscas na rotina ou falta delas acabam gerando desconforto e podem afetar a saúde mental do pet.

Principalmente os gatos precisam dessas regras e saber o que está para acontecer. No caso de precisar mudar hábitos, tente fazer isso aos poucos.

Ofereça um cantinho para o animal de estimação

Em alguns momentos como quando estão estourando fogos de artifício, chegam visitas em casa ou tem muito barulho, o animal quer se esconder. Até mesmo quando ele quer descansar vai querer um cantinho no qual se sinta seguro.

Crie um cantinho para isso, coloque uma cama confortável, um brinquedo que ele goste e se possível escolha um canto mais reservado. Esse será um espaço para que ele se sinta seguro e saiba que é dele.

Cuide da saúde mental do pet

É preciso estimular a mente do seu pet. Isso pode ser feito fazendo com que ele precise achar a comida em vez de torná-la tão acessível. Atividades interativas e brincadeiras podem ter o mesmo efeito.

O ideal é sempre fazer com que o pet seja estimulado e precise pensar. Nada de tornar tudo tão fácil, um desafio é uma maneira de ele manter a boa saúde mental.

Adestre o pet

É preciso ensinar o que pode ou não e acabar com comportamentos inadequados. Se o seu cachorro tem o hábito de comer os sapatos, ele deve ser ensinado que não pode. Apenas brigar com ele sem que ele entenda vai gerar situações de estresse.

Tire um tempo diário para ensinar o seu pet a se comportar. Até mesmo situações que geram medo como cortar a unha ou tomar banho, devem receber atenção. Use estímulos positivos para que ele entenda que a ação não o fará mal, pelo contrário pode ser agradável e positiva.

Pode ser necessário contar com a ajuda de um profissional, senão pode acabar resultando no efeito contrário.

A saúde mental do pet deve ser um ponto de atenção dos tutores. Sempre que perceber que algo está errado, deve-se buscar ajuda antes que a situação se agrave.

 

Por: Jeniffer Elaina, do site Smartia.com.br.