RMC Saúde 

Saúde de Nova Odessa altera horário da classificação de risco no Hospital Municipal

A Secretaria de Saúde de Nova Odessa implantou uma mudança no protocolo de acolhimento com classificação de risco para os atendimentos no Hospital e Maternidade Municipal Doutor Acílio Carreon Garcia. De acordo com o secretário Vanderlei Cocato, o sistema passa a ser utilizado entre 6h e meia-noite, e não mais 24 horas por dia, como vinha acontecendo desde a implantação, em agosto do ano passado. O método é validado pelo Ministério da Saúde e segue as recomendações sobre a Política de Humanização do SUS (Sistema Único de Saúde).

“Nós implantamos a classificação de risco no hospital em agosto do ano passado e ganhamos muito no que diz respeito à qualidade no atendimento, que passou a ser feito de acordo com o grau de emergência do paciente. Contudo, de lá para cá, nós fizemos um acompanhamento constante e concluímos que não havia mais necessidade de manter a classificação entre meia-noite e seis da manhã, porque o movimento no hospital é muito baixo nesse período. Uma mudança estratégica, mas que também traz economia, porque não precisaremos manter uma enfermeira neste horário”, explicou Cocato. “Como toda novidade, a classificação precisou de um pouco de tempo para entrar na rotina dos nossos pacientes. Mas hoje, felizmente, a aceitação é muito boa, já que a população pôde enxergar melhorias no atendimento e é isso que a gente sempre batalha”, completou o secretário.

De acordo com a classificação, os pacientes que procurarem atendimento no hospital passarão por uma triagem e receberão uma etiqueta com quatro cores diferentes, dependendo do caso: vermelha (emergência: caso gravíssimo, com necessidade de atendimento imediato e risco de morte); amarela (urgência: caso de gravidade moderada, com necessidade de atendimento médico, sem risco imediato); verde (pouco urgente: caso para atendimento preferencial nas unidades de atenção básica) e azul (não urgente: caso para atendimento na unidade de saúde mais próxima da residência). “O protocolo garante uma saúde mais humanizada, custos mais enxutos e pacientes sendo atendidos com a prioridade que merecem. O sistema só aumenta a excelência dos serviços que o Hospital Municipal de Nova Odessa já oferece”, ressalta o médico Victor Heitor Gomes, coordenador médico do Pronto-socorro.

Comentários

Leia também...