SB24Horas

Notícia na hora certa!

RMC cria 4,8 mil postos com carteira assinada em setembro e segue trajetória de recuperação

Campinas mantém liderança na geração de empregos, com saldo positivo de 1,6 mil vagas no período

A Região Metropolitana de Campinas (RMC) encerrou o mês de setembro com saldo positivo de 4.832 postos de trabalho com carteira assinada. O número, embora menor comparando-se aos meses anteriores, mantém a trajetória de recuperação do emprego na região. Campinas seguiu liderando a geração de vagas após oferecer 1.618 oportunidades no período. (VEJA NOTA COMPLETA)

O comércio e o setor de serviços foram responsáveis, mais uma vez, por parcela importante das vagas criadas em setembro. Destaque ao dinamismo dos serviços de informação, comunicação e atividades financeiras, que concentraram 28% dos contratos gerados. O setor industrial, com 1.019 postos ofertados, respondeu por 21% do total de empregos no período.

Para a economista Eliane Rosandiski, o resultado sinaliza para a recuperação do setor de serviços e o comércio, que demandavam redução das regras de distanciamento social. “Com a vacinação avançada e os indicadores de casos graves de coronavírus reduzidos, há sinais de que é possível recuperar parte dos empregos perdidos em decorrência da pandemia”, afirma.

Eliane lembra que, com a recuperação das atividades comerciais e dos serviços de alimentação, cresce o número de vagas destinadas às mulheres. Em setembro, 57% dos postos de trabalho foram preenchidos pelo público feminino. “Os dados confirmam a hipótese de que há maior uso da força de trabalho feminino em atividades de serviços pessoais”, diz a professora.

Seguindo a tendência dos últimos meses, grande parte dos cargos foi ocupado por jovens entre 18 e 24 anos (65% do saldo), e por profissionais com nível de escolaridade médio (72% das vagas criadas). Por outro lado, continua caindo o número de oportunidades aos trabalhadores com 50 anos ou mais. No mês de setembro, 304 postos foram fechados para o público desta faixa etária.

Economista Eliane Rosandiski

“A contratação desse perfil de trabalhador, que apresenta menor valor-hora, é compatível com as estratégias de uso de trabalho numa situação de incerteza. Pode ser incluída nessa estratégia a utilização de contrato intermitente e temporário”, avalia Eliane.

Além de Campinas, que gerou 1.618 postos, houve saldo positivo nos municípios de Americana (+486), Sumaré (+483), Indaiatuba (+423) e Santa Bárbara D’Oeste (+420).

 

Da PUC CAMPINAS